Parreira custa menos que Luxemburgo

A diretoria do Corinthians conseguiu o que queria com a troca de comissão técnica: reduzir em cerca de 40% a folha de pagamento. Carlos Alberto Parreira, que será apresentado nesta segunda-feira, em plena véspera de Natal, às 11h30, no Parque São Jorge, receberá cerca de R$ 130 mil mensais, bem menos que seu antecessor, Vanderlei Luxemburgo, demitido há pouco menos de duas semanas. Ele ganhava R$ 180 mil. A comissão técnica antiga representava gasto de aproximadamente R$ 450 mil por mês e a nova vai custar em torno de R$ 250 mil para os cofres corintianos. "No ano que vem, vamos receber menos da televisão, teremos menos jogos e, por isso, precisamos reduzir os custos de todos os setores", comentou Antônio Roque Citadini, vice-presidente de Futebol. Com Parreira, que assinou contrato de um ano, chegarão o preparador físico Moraci Sant´Anna e o assistente Jairo Leal. A surpresa da nova comissão deverá ser o retorno de Valdir Joaquim de Moraes, que havia saído com Luxemburgo, como supervisor, e a permanência do treinador de goleiros Cantarelle. A diretoria não acredita que os compromissos de Parreira com a Adidas, com quem tem contrato para acompanhar a Copa do Mundo da Coréia do Sul e do Japão e também para fazer algumas palestras, prejudicará seu trabalho no Parque São Jorge. Parreira passará mais de um mês fora do País durante o Mundial, mas, durante essa época, não haverá nenhuma competição no Brasil. A partir desta segunda-feira, os dirigentes e Parreira começarão a traçar os planos para a pré-temporada e discutir a contratação de reforços. É possível que seja feita uma troca de Fernando Baiano por Oséas, do Cruzeiro. O Corinthians também quer outro cruzeirense, o volante Ricardinho. O elenco retorna das férias no dia 2 de janeiro e pode ter outras novidades, como a presença do atacante Edílson.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.