Parreira define a seleção brasileira

Cerca de 300 pessoas foram à Granja Comary, hoje, para ver o único coletivo da seleção brasileira antes do jogo de domingo, contra o Paraguai, em Porto Alegre, e saíram decepcionadas. O treino foi muito ruim, teve poucos lances de impacto e nada de gol - Roque Júnior fez um, de cabeça, não computado por ter ocorrido numa repetição de cobrança de escanteio. O placar de 0 a 0 entre titulares e reservas refletiu o baixo nível técnico do jogo, que durou aproximadamente 45 minutos. Vários torcedores pediram a Robinho que pedalasse e pusesse em prática seu mais famoso drible. Mas o atacante mostrou timidez e pouco fez. Nas poucas oportunidades que teve para ir para cima do zagueiro adversário, preferiu tocar a bola. Mesmo assim, disse estar otimista para enfrentar o Paraguai e prometeu pedaladas. "Vai ter pedalada na hora certa, o Parreira me deu liberdade para tentar o drible", comentou. A jogada de mais perigo dos titulares ocorreu numa cabeçada de Adriano, bem defendida por Marcos. Carlos Alberto Parreira admitiu que o coletivo não foi bom e não teve nenhum destaque individual. "O treino foi apenas razoável, mas foi o único treino desse time, não dava para esperar algo maravilhoso." E completou dizendo que, se a equipe não melhorar o nível domingo, dificilmente ganhará dos paraguaios. O bate-bola da seleção foi tão fraco que Marcos, o goleiro do time reserva, deixou inúmeras vezes o gol para conversar com repórteres e tomar cafezinho à beira do campo. "É normal, é fim de temporada na Europa, está todo mundo cansado, quando chegar dezembro, eu também vou estar assim", opinou Marcos. O treinador definiu os 11 titulares, sem surpresas e sem nenhum mistério. Robinho foi confirmado ao lado de Adriano no ataque. E, na zaga - a principal dúvida de Parreira até hoje -, jogarão Roque Júnior e Lúcio. A defesa, então, terá Dida, Belletti, Roque Júnior, Lúcio e Roberto Carlos e, no meio-campo, atuarão Emerson, Zé Roberto, Kaká e Ronaldinho Gaúcho. Juninho Pernambucano, um dos reservas mais utilizados na seleção, deixou o campo com dores musculares e pode ficar fora da partida. HOMENAGEM - Os atletas preparam homenagem para Mário Jorge Lobo Zagallo, coordenador técnico da seleção, durante o confronto com o Paraguai. Zagallo está internado num hospital do Rio há mais de um mês, por causa de uma cirurgia para a desobstrução do duodeno, e não acompanhará a delegação em Porto Alegre e em Buenos Aires, onde o time enfrenta a Argentina na quarta-feira. Na noite de quinta-feira, parte do elenco conversou com ele pelo telefone. O grupo saiu no início da noite de hoje de Teresópolis e seguiu para o Rio, onde pegou um vôo rumo a Porto Alegre. O time fará leve treino amanhã à tarde, no Estádio Beira-Rio, que receberá mais de 56 mil pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.