Parreira deixa o comando do Fluminense e critica clube

A diretoria do Fluminense anunciou nesta segunda-feira que Carlos Alberto Parreira não é mais o treinador do clube. Segundo os dirigentes, a decisão foi tomada em comum acordo com o técnico, que saiu de campo vaiado após a derrota por 1 a 0 para o Santo André, no Engenhão, no domingo.

AE, Agencia Estado

13 de julho de 2009 | 11h43

Em sua terceira passagem como técnico do Fluminense, Parreira esteve à frente do time em 24 jogos, obtendo oito vitórias, nove empates e sete derrotas. Foram 33 gols a favor e 30 contra. O técnico criticou o comportamento do clube, sobretudo devido à relação com o principal patrocinador, a Unimed.

"É uma relação muito complicada, um conflito permanente para o Fluminense. Nós tentamos blindar jogadores e comissão técnica e nos preocupamos com isso. Não existe projeto trabalho, existe resultado. Isso aí não me surpreende em nada", disse o técnico em entrevista ao SporTV.

O treino marcado para a tarde desta segunda-feira, o clube já será comandado pelo auxiliar-técnico Vinícius Eutrópio, que assume interinamente o comando da equipe. O principal alvo do Fluminense é Muricy Ramalho, sem clube desde a saída do São Paulo.

Agora no mercado, Parreira disse que não tem pressa para conseguir outro emprego. "Quero ficar mais tempo com a minha família. Só vou sair do Rio em condições muito excepcionais, talvez não neste campeonato" afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.