Parreira deve ficar novamente sem Emerson

O volante Emerson deve ficar fora da próxima convocação da seleção brasileira, atendendo a um pedido da Roma, para que ele não interrompa trabalho de fortalecimento muscular no ombro direito. Uma contusão no local o afastou da Copa do Mundo de 2002, na véspera do início do torneio. O jogador é considerado peça importante no time de Carlos Alberto Parreira, que gosta de montar o time com dois volantes. Um deles, titular absoluto, é Gilberto Silva. Para o médico José Luís Runco, o mais aconselhável para a recuperação de Emerson seria uma cirurgia, que deixaria o atleta cerca de um mês e meio fora de atividade. Mas Runco sabe que não pode impor sua opinião sobre os médicos da Roma. ?São escolas de medicina diferentes?, resignou-se. Para o recente amistoso com a Irlanda, Parreira relacionou Emerson, que foi cortado a pedido do clube, sob a alegação de que o jogador não poderia deixar de se submeter ao tratamento diário na Roma. Antes mesmo da partida Brasil x Irlanda, após o corte, Emerson atuou pela Roma, o que causou mal-estar na comissão técnica da seleção. ?Ele teve uma luxação no ombro e no meu modo de ver corre o risco de sofrer uma cirurgia de emergência se não se cuidar corretamente?, disse Runco. O médico brasileiro contou que o problema de Emerson no ombro direito decorre da lesão sofrida na véspera do Mundial. ?A cápsula articular de seu ombro está afrouxada e ela precisa ser tensionada.? A Roma pediu em fevereiro um prazo de pelo menos 40 dias para manter Emerson sob seus cuidados. Se for atendida, o jogador não será convocado para a partida com o Paraguai, em 31 de março.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.