Arquivo/AE
Arquivo/AE

Parreira diz que não existe dependência de Fred no Flu

Atacante é vetado para a partida diante do Friburguense, em Nova Friburgo, nesta terça-feira, pela Taça Rio

AE, Agencia Estado

23 de março de 2009 | 19h09

O atacante Fred foi vetado nesta segunda-feira pelo departamento médico do Fluminense para a partida desta terça, contra o Friburguense, em Nova Friburgo. Com dores musculares na coxa e virilha esquerdas, o jogador será poupado para se recuperar com calma da lesão, que vem o incomodando desde a sua chegada às Laranjeiras. Mesmo tendo marcado três gols em duas partidas pelo Campeonato Carioca, o técnico Carlos Alberto Parreira preferiu minimizar a sua ausência.

Veja também:

tabela Classificação / Calendário / Resultados

linkDorival Júnior tenta conter euforia no Vasco

linkMaicosuel pode desfalcar Botafogo contra Americano

linkTorcedor do Flamengo baleado segue em estado grave

"Não existe Fred dependência, Pelé dependência e Ronaldo dependência. Temos que aprender a nos virar sem isso. Ele já provou que é decisivo e fundamental", disse Parreira após o treino desta segunda-feira nas Laranjeiras. "O Fred é um jogador pronto, enquanto os outros estão em um processo de crescimento, evolução, e aprendendo a ter confiança."

A ideia inicial do Fluminense é que Fred se recupere para o clássico contra o Botafogo, no próximo sábado. Mas Parreira também deu a entender que o jogo contra o arquirrival carioca pode não marcar a volta do atacante. Para o treinador, o mais importante é que ele esteja em boas condições físicas para a fase decisiva da Taça Rio. "O Fred precisa se recuperar para as semifinais e finais. Não vale a pena arriscá-lo", explicou Parreira.

Se o comandante do Fluminense não quis admitir a dependência de Fred, já o meia Thiago Neves foi mais direto sobre a ausência do atacante. "Ele vai fazer muita falta, tem feito os gols e será uma perda grande", disse o jogador, para depois também minimizar o desfalque importante desta terça. "O Fred é um cara excepcional, mas temos que lembrar que já vínhamos jogando sem ele, explorando a velocidade dos jogadores de frente."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.