Parreira diz que pode convocar Felipe

O técnico Carlos Alberto Parreira deu sinais nesta sexta-feira de que o meia Felipe, do Flamengo, pode ser convocado para a seleção brasileira em breve. Fez muitos elogios ao atleta, que vem desequilibrando pelo clube, com excelentes atuações. "Se ele mantiver a grande fase, vai ser chamado, só depende dele." O treinador ressaltou que Felipe não "é nenhuma novidade" no futebol brasileiro. "A gente já o conhece há pelo menos cinco anos. Não surgiu agora." Parreira disse que Felipe está sendo observado pela comissão técnica da seleção brasileira, assim como outros atletas que vêm se destacando nos campeonatos estaduais. E afirmou que não é preciso manter um ano inteiro de regularidade para integrar a seleção. Apesar das declarações favoráveis a Felipe, o treinador lembrou que o jogador atua num setor em que há outros nomes muito conhecidos para ocupá-lo. Citou Alex, Ronaldinho Gaúcho e Kaká. "Ele exerce função do meia que chega bem ao ataque, onde dispomos de outros valores também bastante habilidosos." Parreira chegou nesta sexta-feira da Europa, acompanhado do coordenador da seleção, Zagallo. Sobre o empate com a Irlanda, quarta-feira, em Dublin, disse que o amistoso serviu para observar o time que pretende levar a campo no dia 31 de março, quando o Brasil enfrentará o Paraguai, em Assunção, pelas Eliminatórias do Mundial de 2006. Parreira deixou claro que pode fazer uma ou duas mudanças com relação ao time que iniciou a partida com os irlandeses.Não quis adiantar em que setores poderia fazer alterações. A maior dúvida é quanto à escolha de um meia avançado - ele estaria dividido entre manter Kaká ou escalar Rivaldo, que não foi para a Irlanda por causa de compromisso do Cruzeiro pela Taça Libertadores da América. Parreira vai ao Maracanã neste sábado assistir à decisão da Taça Guanabara entre Flamengo e Fluminense. Domingo e segunda-feira ficará em casa, descansando. Apesar de torcer pela Mocidade Independente de Padre Miguel e de ter recebido convite da escola para desfilar, não vai para o sambódromo. "Não sei sambar. Nenhuma chance de eu ir para a Sapucaí, acabaria atrapalhando a Mocidade."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.