Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Parreira diz ser contra Guardiola na seleção: 'Não ajudaria em nada'

Auxiliar técnico do 7 a 1 afirma que adaptação demandaria tempo

Estadão Conteúdo

10 de julho de 2015 | 13h17

Coordenador técnico da seleção brasileira na Copa do Mundo de 2014 e treinador do Brasil na conquista do tetracampeonato, em 1994, Carlos Alberto Parreira defendeu o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, por não ter contratado Pep Guardiola para comandar a equipe no último Mundial. Parreira disse que também seria contrário.

"Não ajudaria em nada, sou contra. Conheço o trabalho do Guardiola. Foram 14 títulos em 16 competições. Mas uma coisa é dirigir o Barcelona, que só tem craque, tem recurso. Outra é no futebol brasileiro, que a seleção se reúne a cada dois meses. Até ele entender a cultura demanda um tempo grande", comentou Parreira, em entrevista à ESPN Brasil.

O assunto Guardiola voltou à tona na terça-feira, quando o lateral-direito Daniel Alves, também em entrevista à ESPN Brasil, revelou que o treinador espanhol tinha projeto de assumir a seleção brasileira antes da Copa do Mundo. De acordo com o jogador do Barcelona, Guardiola tinha estratégia e até time definido para o Brasil atuar no Mundial de 2014, em casa.

Mais do que ser contra Guardiola, Parreira não é favorável a que treinadores estrangeiros comandem a seleção brasileira. "Acho que em clubes, os técnicos estrangeiros fariam trabalhos maravilhosos. Se algum deles vier aqui no Brasil, ganhar três Brasileiros, uma Copa do Brasil, aí sim tem que assumir a seleção. Mas primeiro tem que entender a cultura. Colocar um estrangeiro não vai resolver um problema de uma hora para outra", opinou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.