Parreira diz ter 14 titulares prontos

O técnico da seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira, disse nesta sexta-feira ter preparado não 11, mas 14 titulares para a estréia nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2006, contra a Colômbia, domingo, em Barranquilla. Após o último dia de treinos na Granja Comary, em Teresópolis, ele explicou ter sido necessário tomar esta atitude por causa do clima colombiano. "Vamos precisar atuar com 14 jogadores para mantermos o ritmo da partida", afirmou Parreira. "Está fazendo 33ºC na Colômbia, com 80% de umidade do ar. Isso vai cansar demais os atletas."Parreira preferiu o mistério e não anunciou a escalação para o confronto, mas está claro que o time começa jogando com Dida; Cafu, Lúcio, Roque Júnior e Roberto Carlos; Gilberto Silva, Emerson, Zé Roberto e Alex; Rivaldo e Ronaldo. Durante os 55 minutos do coletivo desta sexta-feira, Emerson e Alex voltaram a ocupar as vagas de Kléberson, contundido, e Ronaldinho Gaúcho, suspenso, a exemplo do que aconteceu nos dias anteriores.Somente nos 15 minutos finais, quando o time principal já havia construído o placar final por 3 a 0, Parreira revelou quem eram os três titulares excedentes do time. Emerson foi substituído por Renato, Alex por Kaká e Rivaldo por Luis Fabiano.Kaká e Renato são os mais cotados para entrarem no decorrer da partida. Durante a semana de treinos no Brasil, Parreira sempre os observou entre os titulares nos minutos finais dos coletivos. Já Luis Fabiano vai ser beneficiado pelo cansaço de Rivaldo ou de Ronaldo. O preparador-físico da seleção, Moracy Sant?Anna, já alertou que ambos jogadores deverão ter problemas, por causa da pré-temporada inadequada realizada pelo Milan e Real Madrid.Antes de embarcar para a Colômbia, nesta sexta-feira à tarde, Parreira festejou o crescimento da seleção, após os treinamentos realizados na Granja Comary. De acordo com o treinador, a equipe evoluiu muito neste período, mas frisou que "ninguém faz milagres em três dias". Lembrou ainda que a Colômbia é um time de boa técnica e de muito toque de bola. "Talvez tenha sido a seleção da América do Sul que mais evoluiu nos últimos anos, ao lado de Brasil e Argentina".Uma surpresa para Parreira foi o desempenho de Rivaldo, que nesta sexta-feira marcou dois gols e Emerson inaugurou o placar. "Se movimentou com desenvoltura. E nesta sexta-feira até me surpreendeu para melhor, porque ele está sem ritmo", contou Parreira. Já Alex também mereceu uma deferência especial do treinador. "Foi para o lado direito e não entortou o time." O desejo do técnico é o de que o atleta do Cruzeiro, que é canhoto, exerça a função de número um, com liberdade para se movimentar em ambos lados do campo, fazendo a ligação entre os meias e os atacantes.A previsão é a de que neste sábado a seleção realize o último coletivo, às 18h (horário de Brasília), no Estádio Metropolitano Roberto Melendez, em Barranquilla, local do confronto de domingo.Vendaval - A notícia da possibilidade de fortes chuvas durante a partida foi recebida com bom humor pela delegação. Enquanto Parreira optou por manter a seriedade, dizendo que se algo grave acontecer o jogo não será realizado, o coordenador-técnico Zagallo disparou: "Se tiver furacão, vendaval, é só pedir para o Roberto Carlos soltar uma bomba de esquerda que logo acaba com tudo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.