Parreira é o responsável por Ronaldo

Carlos Alberto Parreira chegou à sala de imprensa da Granja Comary, em Teresópolis, nesta terça-feira, pouco antes das 18 horas, preparado para um bombardeio de perguntas sobre o corte de Ronaldo dos próximos dois jogos da seleção pelas Eliminatórias Sul-Americanas, contra o Paraguai, domingo, e diante da Argentina, no dia 8. Mas não vacilou em nenhum momento, esbanjou tranqüilidade, garantiu ter sido o responsável pela decisão de tirá-lo do time e, de forma elegante, voltou a cutucar o atacante do Real Madrid."O Ronaldo estava cansado para os jogos da Copa das Confederações, então resolvi liberá-lo desde o início". Parreira deixou claro que percebeu falta de coerência na retórica do Fenômeno, que vinha pedindo, por meio da imprensa, a dispensa da competição a ser realizada na Alemanha. Mas, se ele está cansado para uma competição, fatalmente tem de estar para a outra também. Daí surge a explicação de Parreira para sua liberação do confronto com Paraguai e Argentina.O único momento em que o treinador mostrou algum sinal de irritação ocorreu após pergunta sobre sua responsabilidade em eventuais tropeços nas Eliminatórias por ter cortado o craque do Real. "Fui criticado no passado porque o convoquei quando diziam que ele estava gordo e agora sou criticado porque o liberei... Na vida, ninguém vai para a frente se não toma decisões". Embora tenha tentado esconder durante a entrevista coletiva, Parreira ficou irritado com a atitude de Ronaldo. Afinal, Ronaldinho Gaúcho, Adriano, Kaká, entre outros, também estão cansados e não pediram férias.O treinador fez questão de repetir algumas vezes que a decisão de cortar Ronaldo dos jogos pelas Eliminatórias foi sua, embora tenha corrido a informação de que Ricardo Teixeira, presidente da CBF, participou do evento. "Conversei com o Ronaldo, tomei a decisão e o nosso presidente foi informado", observou. "Não há interferência da CBF na parte técnica." Parreira deixou claro, contudo, que Ronaldo em breve estará de volta à seleção. "O Ronaldo é importantíssimo, sem ele nós teremos um prejuízo técnico." Os jogadores utilizaram discurso padrão, sem entrar em polêmica com a CBF, com a comissão técnica e com Ronaldo. Cafu e Adriano se disseram surpresos e lamentaram a ausência do atacante. Roberto Carlos revelou que Ronaldo pretendia enfrentar Paraguai e Argentina. O lateral conversou ontem com o amigo e colega do Real Madrid. "Ele queria estar aqui para participar dos jogos das Eliminatórias, mas está bem tranqüilo." Ronaldinho Gaúcho, sempre sorridente, confirmou que também sente cansaço agora no fim da temporada, mas que em nenhum momento pensou em ficar fora da seleção. E, após insistentes perguntas, assegurou não ter nenhuma ambição de assumir o posto de astro número 1 da equipe com o corte de Ronaldo. "O número um é o Ronaldo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.