Parreira faz homenagem e chama Romário

Além dos 22 jogadores convocados nesta segunda-feira, o técnico Carlos Alberto Parreira resolveu fazer uma homenagem e chamou o atacante Romário para defender a seleção brasileira no amistoso contra a Guatemala, dia 27 de abril, no Pacaembu, em São Paulo.Em entrevista coletiva, Parreira não conteve o riso quando lhe perguntaram se uma boa atuação de Romário não poderia reacender uma velha discussão: a de que o craque, hoje com 39 anos, não pode ficar fora do time. "Ninguém vai cobrar isso. É uma questão de bom senso. Ele já teve o momento dele e viveu seu ápice no Mundial de 1994", disse, em seguida. Romário, atualmente no Vasco, foi contatado pela comissão técnica pouco antes do anúncio dos convocados.De acordo com Parreira, ele nem precisará se apresentar na segunda-feira, como o restante do grupo. "Se quiser, pode ir direto para o único treino de terça-feira ou só aparecer no dia da partida (quarta). É uma homenagem, mas também não é um jogo de encerramento de carreira. Não sei quando ele vai decidir encerrá-la." Enquanto Parreira justificava o motivo da inclusão de Romário na lista, o coordenador-técnico Zagallo explicava que não podia misturar a relação profissional com a pessoal. "Não tem problema que ele venha. Vai ser proveitoso para a seleção, o Romário e a CBF (Confederação Brasileira de Futebol). É um atleta diferenciado. Já nos encontramos duas vezes em restaurantes e ele veio me cumprimentar", disse Zagallo, que move ação na Justiça contra Romário por causa de caricaturas que o craque mandou pintar na porta de banheiros de seu bar Café do Gol, logo após o Mundial de 1998. Nos desenhos, Zagallo aparecia sentado num vaso sanitário. "Minha vida particular, no problema com ele, não tem nada a ver com seleção."Assim, o amistoso do dia 27 deve marcar a despedida de Romário da seleção no País. Afinal, o veterano atacante de 39 anos defendeu o Brasil pela última vez num jogo-festa realizado em novembro passado, em Los Angeles, justamente com o grupo que conquistou o tetra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.