Parreira ganha dois ?laboratórios?

O técnico Carlos Alberto Parreira diz que ainda está "em busca de um time ideal" e "em fase de experimentos" na Seleção Brasileira. Ele terá dois bons laboratórios pela frente. O primeiro será um amistoso com a Argentina no próximo dia 27, no Morumbi. Nesse jogo, Parreira não poderá convocar atletas que estejam atuando no exterior (já que não se trata de uma data reservada pela Fifa). Chamará só jogadores que estejam atuando no Brasil. O segundo laboratório será a Copa das Confederações, que vai de 15 a 29 de junho, na Alemanha. Parreira diz que vai levar o que tiver de melhor para o torneio, mas admite que dará chances a alguns jogadores que têm atuado pouco pela Seleção. "Nada impede que eu deixe o Cafu no banco, por exemplo, para poder ver o Maicon em ação", diz o técnico. Outros que podem ganhar chances como titular são o lateral-esquerdo Gustavo Nery e o atacante Adriano. Ambos foram titulares na Copa América do ano passado e deixaram boa impressão para Parreira, principalmente o atacante da Internazionale, que saiu como artilheiro daquela competição. Gustavo Nery, atualmente no Corinthians, deve ser titular já no amistoso com a Argentina. Além dele, outros nomes certos na lista são o goleiro Marcos e o volante Magrão, do Palmeiras, o meia Ricardinho e o atacante Robinho, do Santos, e o volante Mineiro, do São Paulo. Jogadores que já foram convocados por Parreira no ano passado também têm boas chances de serem chamados novamente, como o zagueiro Anderson e o meia Roger, do Corinthians. O técnico promete também algumas surpresas. Ele já fez elogios ao lateral Cicinho, do São Paulo, e ao atacante Fred, grande sensação do Cruzeiro neste início de temporada. O goleiro são-paulino Rogério Ceni e o lateral santista Léo, apesar de fazerem sucesso em seus respectivos clubes, não deverão ser chamados por Parreira. "Questão de opção", diz o técnico. Após o amistoso de 27 de abril, a Seleção Brasileira voltará a topar com a Argentina pelas Eliminatórias, dia 8 de junho, em Buenos Aires.Quatro dias antes, enfrenta o Paraguai. Com relação à Copa das Confederações, apesar de Parreira dizer hoje que não vai dispensar ninguém, há ainda uma grande possibilidade de que alguns titulares absolutos sejam poupados e não disputem o torneio na Alemanha. Os dois Ronaldos, por exemplo. O Real Madrid já divulgou até em seu site oficial na internet que o Fenômeno será dispensado da competição. Já o Gaúcho poderia trocar o torneio por uma excursão com o Barcelona pelo Japão. O clube catalão, através de seu dirigente Sandro Rossel, conversa com a CBF para obter a liberação de Ronaldinho. Rossel tem ótimo trânsito com os dirigentes da CBF, já que, há até alguns anos, era ele o homem-forte da Nike (patrocinadora da Seleção) no Brasil. A preocupação do Barça é financeira. Com Ronaldinho Gaúcho na excursão, os japoneses pagarão mais ao clube. Além disso, muitos jogadores brasileiros que atuam na Europa gostariam de serem dispensados da Copa das Confederações. A competição não tem muito prestígio na Europa, e será disputada logo após o término dos campeonatos nacionais daquele continente. Ou seja: a Copa das Confederações vai atrapalhar as férias dos jogadores. Essa competição tem tão pouco prestígio entre os europeus que muitas seleções já abriram mão de disputá-la. Em 2003, por exemplo, a Alemanha, atual vice-campeã mundial, foi chamada, mas não quis ir. A Itália, então vice-campeã européia, também recusou o convite. O segundo representante europeu no torneio (além da França, que sediou a competição) foi a Turquia, terceira colocada na Copa do Mundo de 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.