Parreira ganha novas opções na seleção

Aos poucos, Carlos Alberto Parreira, tido por muitos como excessivamente conservador, começa a encontrar novas opões para renovar a seleção brasileira. Ele ainda escora seu trabalho no time que conquistou o pentacampeonato mundial em 2002, mas já faz uma ou outra alteração e, mais significativo, "descobre?? jogadores que, na sua avaliação, podem perfeitamente substituir alguns dos atuais titulares da equipe.No giro pela Europa - 0 a 0 com a França e vitória por 5 a 2 sobre a Catalunha -, encerrado na terça-feira, Parreira ficou especialmente satisfeito com o desempenho de três jogadores: Luisão, Júlio Baptista e Edu. O zagueiro do Benfica teve uma atuação segura e eficiente contra a seleção francesa, no amistoso realizado quinta-feira passada no Stade de France (contra os catalães cometeu alguns erros de posicionamento), e tem boas chances de conquistar um lugar na equipe titular já a partir dos próximos jogos, apesar de ser um atleta jovem (23 anos) e ter poucas partidas com a camisa da seleção. "Ele está demonstrando personalidade, amadurecimento e é mais uma excelente opção que temos??, disse Parreira sobre Luisão.O volante Edu precisou de apenas duas partidas incompletas, contra a Hungria (vitória por 4 a 1) e França, para cair nas graças do treinador. Parreira entende que encontrou alguém capaz de fazer a função de Zé Roberto, quando o jogador do Bayern de Munique não puder jogar pela seleção. "O Edu, em apenas dois jogos, conquistou seu espaço. Claro que não é o único que pode substituir o Zé Roberto, mas é uma boa opção. Ele está sempre livre, toca bem a bola, sabe fazer aquele trabalho de marcar e sair para o jogo pelo lado esquerdo, procura alternativas para os companheiros e chuta muito bem??, elogiou Parreira.Na terça-feira, contra a Catalunha, Edu voltou a entrar com a partida em andamento e mostrou um bom futebol. Participou, inclusive, da jogada de três gols. Por enquanto, porém, o brasileiro do Arsenal é apenas um reserva cheio de moral com o treinador.Júlio Baptista também está crescendo não só pelos gols que fez contra a Catalunha, um deles numa bonita bicicleta, mas por estar se mostrando um jogador que se adapta com rapidez à várias funções em campo. Foi o caso do jogo de terça-feira, quando o volante substituiu o meia Alex, que saiu contundido.Parreira vê o jogador do Sevilla, que tem atuado bastante avançado no clube espanhol e feito muitos gols - foi vice-artilheiro do campeonato nacional -, como um bom reserva para Juninho Pernambucano. "Para mim, ele é um segundo volante. No máximo, posso aproveitá-lo como meia numa emergência??, explicou o treinador.Parreira fez, até agora, poucas alterações em relação ao time titular de Luiz Felipe Scolari em 2002. A mudança mais clara foi no esquema tático, pois a seleção deixou de jogar no 3-5-2 para se fixar integralmente no 4-4-2. Quanto aos jogadores, trocou o goleiro Marcos por Dida, que reserva na Copa, e fixou Kaká como titular, no lugar de Rivaldo, que não vem sendo mais convocado.No meio-campo, setor em que todos os jogadores foram mudados, Gilberto Silva e Kléberson, preferidos por Felipão, continuam no elenco, mas agora estão na reserva. Edmílson, que na Copa da Coréia e do Japão jogou algumas partidas, foi fixado como primeiro volante, assim como o meia Juninho Pernanbucano, jogador não aproveitado pelo técnico anterior. Além, é claro, de Zé Roberto, que jamais teve grandes chances com Luiz Felipe Scolari.Dois jogadores que não deverão ser titulares, por enquanto, mas serão convocados com freqüência são o meia Alex e o atacante Luís Fabiano. Parreira confia bastante no meia que está trocando o Cruzeiro pelo futebol europeu e no atacante são-paulino.O fato é que hoje, quase dois anos depois da Copa, seis titulares do time de Luiz Felipe Scolari - Cafu, Roque Júnior, Lúcio (bastante ameaçado de perder a posição para Luisão), Roberto Carlos, Ronaldinho Gaúcho e Ronaldo - mantêm essa condição com Parreira. O que não significa que continuarão no time daqui a dois anos, embora hoje poucos admitam a hipótese de uma seleção brasileira jogar sem Ronaldinho Gaúcho e Ronaldo, por exemplo.Tentar antecipar o time que vai à Alemanha, aliás, é um tema que irrita Parreira. "Não dá para prever o que vai acontecer até 2006, que time vai jogar. O futebol brasileiro se renova a cada dia, aparece um talento atrás do outro e não podemos nunca descartar essa possibilidade?, justificou.Reapresentação - Os jogadores convocados para as partidas do Brasil contra Argentina e Chile, pelas Eliminatórias da Copa, se reapresentam na sexta-feira, às 11 horas, no Rio, de onde seguem para a Granja Comary. O primeiro treino em Teresópolis será às 16h30. O meia Alex sofreu um entorse leve no tornozelo esquerdo no amistoso contra a Catalunha e não preocupa, segundo o médico José Luís Runco. O jogo contra os argentinos será quarta-feira em Belo Horizonte, para onde a seleção viajará na segunda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.