Parreira já fez um balanço: é positivo

A comissão técnica da seleção brasileira fechou o balanço da Copa das Confederações, ontem, ainda em Nuremberg. Carlos Alberto Parreira considerou o resultado foi muito positivo, da observação de jogadores à logística a ser adotada no Mundial de 2006. Entre os atletas, Cicinho recuperou o prestígio e tem tudo para ser o reserva de Cafu na Copa. E o novo esquema tático, com o ?quarteto fantástico?, foi aprovado no teste mais difícil da temporada. Não importa o resultado da final contra a Argentina, quarta-feira, em Frankfurt. ?Demos um passo importantíssimo para o nosso grande objetivo que é a conquista do hexacampeonato?, disse o treinador, logo depois da vitória sobre a Alemanha, sábado, em Nuremberg. Neste passo, incluem a confirmação de Cicinho, a aprovação do esquema com quatro atacantes, o ressurgimento de Adriano, a definição de 95% do grupo de jogadores para o Mundial, a estratégia de treinos, deslocamentos, hospedagens e os cuidados com a arbitragem. Acompanhe a seguir os principais tópicos do balanço de Parreira, itens que serão aprofundados em agosto, antes do amistoso contra a Croácia, dia 17, em Split. Quarteto fantástico ? ?Se o esquema ofensivo (com quatro atacantes) tinha de ser testado para valer, contra a Alemanha ele foi testado e aprovado. Foi um jogo de final de Copa do Mundo, ambiente, clima, estádio lotado, pressão total e contra um time que marca bem e não desiste nunca. O quadrado passou no teste.? Laterais ? ?Deixamos Cafu e Roberto Carlos de férias para observarmos quatro laterais. Fizemos avaliações importantes. O Cicinho praticamente estreou na seleção e se saiu muito bem. Jogou com a mesma intensidade que costuma mostrar no São Paulo, atacando forte. É uma boa opção que ganhamos.? Adriano e Ronaldo ? ?Nunca tive dúvida da capacidade do Adriano. Ele tem força física, talento e sabe fazer gol de tudo quanto é jeito. Teve alguns problemas de contusão na Inter, mas em forma resolve os problemas do time. Sobre o Ronaldo, não temos o que falar. Todo mundo sabe da sua capacidade. É jogador que decide Copa do Mundo. Nunca esteve fora dos planos.?Grupo fechado ? ?Ainda falta um ano para a Copa do Mundo. Tem muita coisa pela frente. Usamos a Copa das Confederações para observar o maior número possível de jogadores. Observamos 21 em 23 convocados. E a base da Copa de 2006 está bem encaminhada.?Logística ? ?Conhecemos quatro estádios que serão usados na Copa do ano que vem ? serão cinco ao final da Copa das Confederações -, deslocamentos, hotéis, cidades sedes, temperatura, ambiente nas cidades, torcida contra. Tudo isso não será uma novidade para o Brasil no Mundial de 2006. Neste aspecto, estamos na frente dos principais concorrentes.? Arbitragem ? ?Fiquem de olho. As seleções sul-americanas vão sofrer muito na Copa do Mundo.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.