Parreira justifica escolha de goleiros

A volta de Marcos à seleção brasileira, anunciada nesta sexta-feira pelo técnico Carlos Alberto Parreira, foi facilitada pelo mau momento de Júlio César, que vinha sendo o reserva de Dida nos últimos jogos. Depois de deixar o Flamengo no final do ano, o goleiro foi para o Chievo, da Itália, mas não está ficando nem no banco de reservas.Outro goleiro que disputa a preferência de Parreira é Gomes, ex-Cruzeiro, que está em boa fase no PSV Eindhoven, da Holanda. Mas, nesse caso, pesou a experiência de Marcos, que foi titular da conquista do penta em 2002. "É possível deixar de lado a experiência de um jogador pentacampeão mundial? Ele não está bem fisicamente e atuando? Então, posso convocá-lo", disse Parreira.O técnico da seleção ainda lamentou a situação atual do ex-goleiro do Flamengo. "O Júlio César foi um dos jogadores que falei que gostaria de contar, mas não foi possível", admitiu.Parreira aproveitou a convocação para os dois próximos jogos das Eliminatórias - dia 27, contra o Peru, em Goiânia, e dia 30, contra o Uruguai, em Montevidéu - para explicar que o grupo que vai ao Mundial de 2006 ainda não está fechado. "Evidente que todo aquele que vem sendo chamado está em vantagem, mas não posso dizer que o grupo foi fechado. Até porque, no Brasil, surge a toda hora um jogador de talento", revelou o treinador. "Não fique triste quem ficou de fora, porque pode voltar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.