Parreira mantém indefinida a escalação do Fluminense

O técnico Carlos Alberto Parreira deu a entender nesta quarta-feira que só vai revelar o substituto de Carlos Eduardo, contundido, momentos antes da partida entre Avaí e Fluminense, sábado, em Florianópolis. Para o comandante do time das Laranjeiras, essa definição não é o mais importante neste momento.

AE, Agencia Estado

17 de junho de 2009 | 12h22

"A escalação do time é o que menos me preocupa. Trabalhamos para mudar o espírito da equipe e estamos alcançando o objetivo. Atingimos um crescimento físico e moral. Melhorou também a vontade, confiança e o toque de bola. Nome não é o mais importante no momento, quem entra está indo bem e correspondendo", comentou.

Parreira lembrou que Leandro Amaral e Diguinho, os favoritos para a vaga de Carlos Eduardo, ainda não conseguem atuar por 90 minutos. "Talvez se eles começarem a partida sintam durante o jogo. O Leandro fez uma operação muito séria e se receber um impacto forte pode precisar de precauções no dia seguinte. O Diguinho também teve problemas médicos e ontem mesmo estava com muitas dores musculares por ter jogado mais de 50 minutos contra o Grêmio", argumentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.