Parreira pede velocidade e confia em vitória do Flu

O Fluminense terá que se superar nesta quarta-feira para conseguir a classificação às oitavas-de-final da Copa do Brasil. Depois de perder por 2 a 1 em Belém, no Pará, a equipe carioca tem de vencer o Águia de Marabá, no Maracanã, para avançar na competição. Além da superação, já que não poderá contar com os meias Thiago Neves (suspenso) e Conca (lesionado), o técnico Carlos Alberto Parreira pede um time veloz.

LEONARDO MAIA, Agencia Estado

21 de abril de 2009 | 20h58

"Precisamos de velocidade", disse o treinador, que por outro lado teme pelo nervosismo de sua equipe. "Não podemos confundir com pressa. Temos que atacar e buscar o gol com inteligência", pediu. "O resultado de 1 a 0 já é o suficiente para a gente, mas não vamos entrar em campo pensando nisso. Jogando o que sabemos os gols vão sair naturalmente."

No lugar de Thiago Neves e Conca, Parreira escalará Marquinho e Tartá. Os dois terão a missão de servir o ataque, formado por Everton Santos e Fred. Ainda no meio-de-campo, Wellington Monteiro e Maurício também devem ganhar uma chance. Como perdeu por 2 a 1 em Belém, o Fluminense tem que vencer por 1 a 0 ou buscar a vitória por mais de dois gols de diferença. O triunfo por 2 a 1 leva a decisão para os pênaltis.

Precisando do resultado positivo para avançar na Copa do Brasil, o time das Laranjeiras deve contar com bom público no Maracanã. No entanto, Parreira não acredita que a pressão da torcida sobre o adversário será determinante para a vitória do Fluminense. "O Maracanã não assusta mais ninguém. É o estádio mais neutro do Brasil. Temos que nos impor com a nossa experiência, história e tradição", discursou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.