Parreira: quem não aprovar, deixa a Seleção

O recado do técnico Carlos Alberto Parreira foi claro. Quem não aprovar nos dois primeiros jogos da seleção brasileira, pode perder a vaga na rodada seguinte das eliminatórias do Mundial de 2006. Ele chegou a ser incisivo quando falou da nova safra de bons jogadores do País e do aproveitamento de Diego e companhia na seleção. "A renovação já começou", exclamou, durante a apresentação da equipe, no final da tarde de hoje, no Aeroporto Santos Dumont, no centro, para as partidas contra a Colômbia, domingo, em Barranquilla, e Equador, dia 10, em Manaus. "É só conferirmos a lista de convocados para ver pelo menos seis jovens na equipe. E isso é renovação", afirmou Parreira, referindo-se a Diego, Elano, Renato, Luís Fabiano e, possivelmente, a Kaká e Juan. "Após esses dois primeiros jogos, posso fazer mudanças na convocação para enfrentar o Peru (dia 11 de novembro) e Uruguai (18 de novembro). Mas tudo bem devagar e sem pressa." É claro, no entanto, que alguns craques pentacampeões não correm risco de ficar fora da seleção tão cedo. Como exemplos, Ronaldo, Roberto Carlos e Ronaldinho Gaúcho. Parreira enfatizou que uma das suas prioridades vai ser a de conscientizar os jogadores sobre a necessidade de as eliminatórias serem disputadas com a "maior seriedade possível". Para o treinador, "cada jogo é uma final" e, por isso, a aplicação da equipe deverá ser total. Durante os treinos que começam amanhã e vão até sexta-feira, na Granja Comary, em Teresópolis, Parreira destacou que o seu objetivo será o de fazer "experiências no time". Só revelará a equipe titular no sábado à tarde. Ele torce para que não chova na região serrana, o que prejudicaria a preparação. "Vamos ter pelo menos um treino importante por dia." Um dos poucos atletas a dar entrevista, o meia Alex, do Cruzeiro, lembrou que todos devem brigar por um espaço. Considerou, ainda, que a falta de entrosamento será a principal dificuldade para o Brasil nesses dois primeiros jogos. "A sorte da equipe é justamente ter uma base montada do Mundial. E isso tem que prevalecer", frisou Alex, que pediu atenção a todos os jogadores colombianos e não somente ao atacante Aristizábal, seu companheiro cruzeirense. "Um jogador como ele é difícil de ser marcado, porque sempre pode fazer alguma coisa diferente, mas nossa preocupação deve ser com todos." O coordenador-técnico Zagallo há tempo vem-se tornando o símbolo da alegria da seleção e, hoje, não foi diferente. "A Copa já está conosco! Então, temos de segurá-la para não deixá-la fugir", divertiu-se. O meia Emerson chegou primeiro à Granja Comary e até treinou hoje no local. O atacante Ronaldinho Gaúcho só deve se apresentar amanhã à tarde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.