Parreira quer Corinthians "ligado"

A forma até displicente como oCorinthians perdeu para o Flamengo - de virada e com um jogadora mais durante quase todo o segundo tempo -? será o ponto departida do time de Carlos Alberto Parreira para alcançar areabilitação na partida deste domingo, às 16h, contra o Guarani,em Campinas.No entendimento do técnico, capacidade a sua equipe já mostroutanto no Rio-São Paulo quanto na Copa do Brasil. O problema éque a seqüência de bons resultados nas duas competições mexeucom a cabeça dos jogadores, especialmente no jogo contra oFlamengo. O time se desconcentrou e acabou perdendo umainvencibilidade de sete jogos por pura falta de atenção. Éjustamente isso que Parreira não vai aceitar na partida diantedo Guarani. "Quero o meu time mais ligado no jogo, um pouco detensão faz bem. É preciso estar sempre alerta porque você nuncasabe quando e de onde vem o perigo."Numa breve avaliação feita aos jogadores, Parreira explicou queos três pontos que o time deixou de ganhar no Maracanã seriamfatais se os quatro classificados fossem definidos na rodadapassada. E lembrou que um novo tropeço nas mesmas condições podedeixar a equipe bem longe das finais do torneio. "Numa únicarodada, caímos da segunda para a quinta posição e saímos da zonade classificação. Pior do que isso: perdemos três pontos numjogo em que tínhamos tudo para ganhar." Neste domingo, Parreira imagina que a sua equipe possafazer o caminho inverso. Com uma vitória em Campinas, oCorinthians poderá voltar à zona de classificação ? entre osquatro primeiros colocados. Ele entende que a competição estáentrando numa fase decisiva, só com clássicos e os confrontosdiretos é que vão definir quem seguirá na competição. "Chegamosa uma fase em que a equipe vai mostrar até onde pode chegar." Prova maior da confiança que tem na equipe e no sistematático Parreira deu já na quarta-feira, ao anunciar que manteriaos três atacantes. "Vamos manter essa brincadeira. Está gostosoassim."Satisfeito com o desempenho do ataque, que tem feito muitos gols Parreira só não abre mão da participação coletiva na marcação."O esquema com três atacantes só está dando certo porque todomundo participa da marcação quando a bola está com o adversário.Sem esse equilíbrio nenhum time consegue andar,independentemente do número de jogasdores que atuam no ataque."A única alteração na escalação só foi feita por obrigação: comoScheidt foi expulso na última partida, Batata iria reassumir aquarta-zaga, mas voltou a sentir uma contusão nos treinos destesábado e o garoto Anderson vai começar jogando.Parreira ficou satisfeito com o rendimento de Vampeta, Kléber eDida no coletivo de sexta-feira. Apesar de terem ficado àdisposição da Seleção Brasileira por quatro dias em Cuiabá,nenhum deles jogou o tempo todo contra a Islândia. Também nãodemonstraram cansaço pela viagem de volta, na sexta-feira.Vampeta se diz ansioso por enfrentar o Guarani. "Numa fase comoesta, em que o grupo que vai disputar a Copa está sendo definido estar em atividade é um grande negócio. Como sempre digo, oCorinthians é a minha maior vitrine." Quanto às falhas dedomingo passado, não vê como relacioná-las ao jogo, em Campinas."Errar faz parte do futebol. Mas é improvável que o Corinthianscometa as mesmas falhas duas vezes consecutivas."Entre os outros jogadores também há a certeza de que as falhasdo último jogo não serão repetidas. O goleiro Dida, por exemplo,acha que o Corinthians não conseguirá repetir uma atuação tãoinfeliz como a do primeiro tempo do jogo com o Flamengo. "Claroque o time perdeu a concentração no finalzinho da partida eacabou perdendo a chance de vencer nos últimos minutos, masninguém pode esquecer que também no segundo tempo o time jogouum grande futebol. Virou o placar para 3 a 2 jogando bem e éisso que interessa. Quer dizer: temos qualidade para vencer oGuarani, com todo respeito ao adversário."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.