Parreira recebe permissão para trabalhar na África do Sul

Terminaram os problemas para o técnico brasileiro Carlos Alberto na África do Sul, pelo menos quanto ao seu visto de trabalho. Nesta segunda-feira, o treinador recebeu a autorização das autoridades para trabalhar na seleção local.Parreira, de 64 anos, estava sendo impedido de trabalhar no país por não contar com a autorização necessária. O treinador havia chegado à África do Sul no dia 26 de janeiro, mas seus problemas com o visto só foram revelados na última semana.A Associação Sul-Africana de Futebol (Safa), que assinou contrato com Parreira no dia 16 de agosto de 2006, deixou para providenciar os documentos do treinador na última hora - porta-vozes do Ministério do Interior disseram que o pedido de licença só foi apresentada na última quarta.Porém, a documentação que a Safa apresentou estava incompleta. Assim, na última sexta foi pedido à entidade que completasse os trâmites. "A Safa enviou nesta segunda todos os documentos que faltavam para o técnico. Agora, ele tem a licença de trabalho", diz um comunicado oficial do ministério.No geral, a concessão de uma licença de trabalho para um estrangeiro demora várias semanas. No entanto, as autoridades deram um "jeitinho" para fazer com que Parreira recebesse a liberação em poucos dias. Agora, falta apenas o seu auxiliar técnico, o também brasileiro Jairo Leal, conseguir o visto.Parreira veio para Johanesburgo com um contrato de quase quatro anos e um salário de cerca de US$ 275 mil mensais, quantia que é superior ao que o presidente da África do Sul, Thabo Mbeki, recebe durante todo o ano.A estréia de Parreira no comando dos sul-africanos será contra o Chade, na capital chadiana, em março, pela fase classificatória da Copa Africana de Nações 2008, que acontecerá em Gana. O treinador deve utilizar essa competição como um teste para montar a seleção que disputará o Mundial de 2010.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.