Parreira refuta possibilidade de revanche contra França

Enfrentar a França nas quartas-de-final da Copa do Mundo não será uma revanche para o técnico Carlos Alberto Parreira. Assim que ficou definido o adversário, ele tratou de exaltar a qualidade do adversário e do jogo que será disputado, evitando comparações com o que aconteceu na decisão da Copa do Mundo de 1998 (quando os franceses bateram o Brasil por 3 a 0)."Não tem nada a ver. Não existe clima de revanche, aqui não se pensa nisso. Vamos jogar contra a França outra partida decisiva, como foi a de Gana. Brasil e França é um clássico do futebol mundial. Tem tudo para ser um grande jogo", disse o técnico através de nota no site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).O técnico brasileiro elogiou ainda bastante a qualidade do adversário no jogo em que venceu a Espanha, por 3 a 1, nesta terça-feira. "Gostei do jogo, foi bonito, de bom futebol. A França mostrou que cresceu de produção em um momento importante da competição, em que todo jogo é decisivo. Mereceu a vitória, jogou melhor".Analisando o time em campo, Parreira elogiou a postura do técnico francês Raymond Domenech, que escalou Zidane nesta partida (o meia não atuou na partida anterior, a última da primeira fase, por estar suspenso). "Ele tirou um ponta-de-lança, reforçou o meio-campo e o time ficou muito rápido, saía sempre em velocidade para o ataque. A França jogou muito bem", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.