Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Parte do acervo de João Havelange será leiloado no Rio de Janeiro

São cerca de 250 lotes, que incluem quadros, móveis, troféus, placas, chaveiros, xícaras, artigos de decoração e camisas de times de futebol

Marcio Dolzan / RIO, O Estado de S.Paulo

24 Novembro 2017 | 16h58

Parte do acervo de um dos maiores cartolas da história do futebol mundial vai a leilão a partir da próxima terça-feira. Cerca de 250 lotes que incluem quadros, móveis, troféus, placas, chaveiros, xícaras, artigos de decoração e camisas de times de futebol que pertenceram a João Havelange começam a ser expostas a partir deste sábado em uma galeria em Copacabana, na zona sul do Rio. A expectativa é que todas as peças sejam vendidas e rendam até R$ 800 mil.

+ Morre João Havelange, o maior dirigente do futebol do Brasil

Amante do futebol e do esporte em geral, quando não estava na Fifa Havelange recebia amigos e dirigentes em uma sala comercial de 380 metros quadrados num luxuoso edifício comercial do Centro do Rio. O local foi leiloado há poucos meses por R$ 1,61 milhão. Tudo o que estava em seu interior será negociado agora. São peças que partem de valores irrisórios (R$ 100), mas que na avaliação do leiloeiro Roberto Haddad serão arrematadas por preço bem maior.

“As coisas estão muito aquém do valor de mercado, muito abaixo. Tem coisas que a gente tem certeza que vai dar R$ 3 mil, R$ 4 mil, mas está sendo oferecido por R$ 300”, exemplifica Haddad. “São preços bastante convidativos.”

Dentre os lotes, há xícaras com o emblema da Fifa, camisas de clubes do futebol do mundo inteiro com dedicatórias para Havelange, chaveiros, quadros, troféus e dezenas de placas. Uma cuia (com a bomba) em prata e detalhes em ouro, dada pela Associação de Futebol Argentina ao cartola em 1974, por exemplo, está com lance inicial de R$ 100.

Roberto Haddad diz que costuma realizar oito leilões por ano. Segundo ele, este promete ser o mais interessante justamente em função das peças de Havelange – lotes pertencentes a outras pessoas também serão colocados à venda. “Quando o leilão tem nome é diferente”, afirma Haddad. “O chamariz com certeza é nome do João Havelange.”

A expectativa é de que todos os lotes sejam comercializados, a maioria pela internet. Lances do exterior também são esperados. “Já recebemos muitas ligações e e-mails de pessoas querendo saber tudo sobre troféus e camisas”, revela Haddad. “Têm pessoas que só compram peças futebolísticas. Uma ocasião nós pegamos um acervo bastante grande de camisas e veio gente da Europa, Estados Unidos, muitos brasileiros também.”

Presidente da Fifa por 24 anos e membro do Comitê Olímpico Internacional (COI), João Havelange morreu em agosto do ano passado aos 100 anos. Ele mudou a história do futebol e transformou a Fifa em uma entidade milionária. Antes, comandou a Confederação Brasileira de Desportos (que depois seria transformada na atual CBF) por 17 anos, período em que a seleção conquistou o tricampeonato mundial. Por décadas, João Havelange foi reverenciado no mundo inteiro, mas passou os últimos anos de sua vida longe dos holofotes após ter seu nome envolvido em denúncias de corrupção na Fifa e no COI.

SERVIÇO:

LEILÃO ACERVO JOÃO HAVELANGE

Exposição de peças: 25, 26 e 27 de novembro

Leilão: de 28 de novembro a 1º de dezembro

Lances pela internet (robertohaddad.com.br) ou presencial (Avenida Pompeu Loureiro, 27, Copacabana, RJ)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.