Passado de Juninho é arma do Palmeiras

O passado exemplar é o maior argumento da defesa de Juninho Paulista no julgamento desta sexta-feira no STJD, no Rio, pelas ofensas que ele fez contra o auxiliar Roberto Braatz na partida com o Paysandu, dia 26 de junho. O jogador do Palmeiras chamou o assistente do árbitro de ?safado? e foi flagrado pelas tevês.Para se defender, Juninho Paulista irá pessoalmente ao julgamento e pedirá perdão. Caso não dê certo, a estratégia será reverter a pena, que pode ser de dois a seis jogos de suspensão, em cestas básicas ou coisa do tipo. O Palmeiras acionou o escritório de advocacia de Rafael Couto, que defenderá Juninho. Antônio Carlos Corcione, assessor da presidência, também estará presente na sessão do STJD. "Vamos pedir a absolvição. O auxiliar xingou Juninho na partida e ele só respondeu após o término da mesma", disse o dirigente palmeirense.No treino coletivo desta quinta-feira, Juninho Paulista começou entre os titulares, mas depois foi substituído pelo reserva Francis. O grande destaque, no entanto, foi o atacante Alex Afonso, que fez três gols e deu uma assistência para a vitória por 5 a 0 dos titulares - Marcinho e Juninho também marcaram.Na zaga reserva, estava o paraguaio Gamarra - indício de que Paulo Bonamigo tem dúvidas sobre a utilização do zagueiro no clássico, já que a documentação ainda não está liberada.Já Baiano é dúvida. O lateral-direito ainda sente dores musculares na coxa esquerda. E o atacante Gioino sofreu contusão muscular, deixando o treino - dificilmente enfrentará o Corinthians.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.