Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Passaporte europeu, idade baixa e boa fase no São Paulo fazem Brenner ser cobiçado na Europa

Clube paulista detém 100% dos direitos econômicos do atacante, que vale R$ 318 milhões, projeta receber propostas em breve, mas chances de ele sair agora são remotas

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2020 | 09h40
Atualizado 12 de novembro de 2020 | 11h29

A grande fase vivida por Brenner tem ajudado muito o São Paulo dentro de campo e pode ajudar também fora das quatro linhas. O jovem atacante tem diversas características que atraem os clubes europeus e em razão disso, a diretoria do time paulista projeta receber boas ofertas pelo jogador em breve. Mas para tranquilidade dos torcedores são-paulinos, o atacante deve ficar, pelo menos, até junho do ano que vem.  A multa contratual do jogador é de 50 milhões de euros (cerca de R$ 318 milhões).

A janela de transferência dos principais países da Europa está fechadas. A definição sobre o futuro de Brenner estará nas mãos do próximo presidente do clube. Julio Casares e Roberto Natel disputam o pleito para ocupar a vaga de Leco. 

De acordo com o site italiano Calciomercato, pelo menos seis times já demonstraram interesse no jogador. São eles: Paris Saint-Germain, de Neymar e Mbappé, Milan, Lazio, Juventus, Arsenal e Ajax, para onde foi o garoto Antony, também revelado pelo São Paulo. O Estadão apurou que, por enquanto, não chegaram propostas oficiais pelo jogador, apenas algumas sondagens. A direção, porém, vê isso como algo natural, já que o atleta começou a ter destaque recentemente. 

Brenner, de 20 anos, tem contrato com o São Paulo até dezembro de 2022. O clube tem 100% de seus direitos econômicos. Ou seja, todo o valor negociado em uma futura venda irá para os cofres do clube. A multa contratual para times do exterior que quiser levá-lo é de 50 milhões de euros (R$ 318,5 milhões). Se algum clube brasileiro quiser contratá-lo, o valor é de R$ 100 milhões.  

Existem três pontos que fazem com que Brenner se torne alvo em potencial para os grandes clubes da Europa: ele é jovem (tem apenas 20 anos), está em processo final para obter passaporte europeu (dessa forma, ele não ocuparia uma vaga de estrangeiro) e vive grande momento com a camisa tricolor. O jogador está tirando passaporte italiano e, com isso, pode ser contratado pela maioria dos times europeus sem ocupar vaga de estrangeiro. Toda a documentação deve ficar pronta até julho do ano que vem. Esse diferencial do passaporte ajuda na valorização do atleta também. 

O garoto foi promovido ao time principal do São Paulo por Rogério Ceni, quando ele treinava a equipe em 2017. Nos últimos 11 jogos, Brenner fez 13 gols, e muitos deles decisivos, como os dois marcados na quarta-feira diante do Flamengo dentro do Maracanã, na vitória por 2 a 1 pela Copa do Brasil. Na temporada, são 17 gols em 26 partidas. Brenner tem aproveitado a boa fase. O técnico Fernando Diniz se rendeu ao seu bom momento e passou a escalá-lo com mais frequência. 

DE QUASE DISPENSADO A FUNDAMENTAL

Brenner por muito pouco não deixou o São Paulo novamente. Promovido em 2017, por Rogério Ceni, o atacante nunca conseguiu se firmar na equipe e foi emprestado ao Fluminense em 2019, atendendo a um pedido do técnico Fernando Diniz, que dirigia o clube carioca na época. 

"O Brenner foi um jogador que eu levei para o Fluminense. Custo zero. Salário pago aqui pelo São Paulo. Comigo foi titular em algumas partidas e praticamente em todos os jogos entrava. Depois que eu saí de lá, ele praticamente não foi mais nem relacionado. Aconteceu o mesmo que havia acontecido aqui no São Paulo", contou o treinador. 

Brenner voltou para o São Paulo e a tendência era que ele fosse emprestado novamente, mas Diniz mandou reintegrar o garoto. "Na minha volta pedi que ele se reintegrasse. É um jogador muito talentoso, tem o carisma do gol, muito frio e técnico. Sabe ajudar na construção. Tem muita qualidade", analisou o comandante tricolor. 

Brenner é um dos daqueles casos de jogadores que aparecem muito bem nas categorias de base e acaba queimando etapas. Ele chegou ao São Paulo com apenas 11 anos, após ser descoberto em uma escolinha de futebol em Cuiabá, cidade onde nasceu, e começou a demonstrar seu talento logo cedo. No time sub-15, chegou a marcar 23 gols em 30 jogos e passou a ser olhado de uma forma diferente no clube. 

Presença constante em convocações da seleção brasileira de base, Brenner foi promovido do time sub-17 para o principal e isso, segundo pessoas que acompanham o trabalho do jogador no dia a dia, pesou bastante no amadurecimento dele. Hoje, o jogador conta com a confiança de Fernando Diniz e tem demonstrado a cada jogo maior evolução.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.