Passaportes: 35 irregulares na Itália

A investigação dos promotores italianos já detectou 35 jogadores com passaportes ou documentos falsos entre os 360 atletas ?não comunitários? que atuaram na Itália desde 1995, quando saiu a ?lei Bosman?, dando liberdade de fronteira para os jogadores da comunidade européia. Esse é o balanço, até o momento, do trabalho da Justiça, que foi iniciado em setembro do ano passado e deve ser concluído no começo de 2002. Entre os que estão irregulares, 25 são por passaportes falsos e os outros 10 são casos de passaportes que foram obtidos através de documentação falsificada. Ainda há 46 jogadores sob investigação. Mas não são apenas os atletas que estão na mira dos promotores. Seus clubes também estão: Udinese, Venezia, Milan, Inter de Milão, Brescia, Sampdoria, Vicenza, Torino, Roma, Luccehse e Savoia 1908. Dos 25 passaportes falsos encontrados, 15 são de cidadania portuguesa, 8 espanhola e 2 italianos. Já no caso dos 10 passaportes que foram obtidos com documentos falsificados, 7 vieram da cidade de Udine e 3 de Roma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.