Passarella afasta Fábio Costa

A semana começou de forma drástica para o Corinthians. Hoje, surgiu a informação, ainda extra-oficial, de que o goleiro Fábio Costa não só não enfrentará o Figueirense, quarta-feira, pela Copa do Brasil, como ficará na geladeira, afastado por tempo indeterminado do elenco. Tiago e Júlio César, os reservas, brigam pela vaga. O técnico Daniel Passarella não se mostrava satisfeito com o goleiro, que tem falhado constantemente. O erro mais grave, mas não o único, ocorreu na partida de ida contra o Cianorte, em Maringá, pela mesma Copa do Brasil, no início de março. Fábio Costa soltou a bola na cabeça do atleta paranaense e o time perdeu por 3 a 0. O jogador, no entanto, não admite a má fase: "Sei que tenho capacidade para ser goleiro do Corinthians e de qualquer equipe do País", declarou na semana passada. O treinador ganhou o apoio do chefão da MSI, Kia Joorabchian, nos vestiários do Estádio Luso-Brasileiro, após a derrota para o Botafogo por 3 a 1. Na partida, o goleiro também teria falhado no segundo gol carioca, anotado pelo meia Ramon. Ninguém no clube se pronunciou sobre o afastamento. Os assessores de imprensa não atenderam os telefones. Se a semana se inicia de forma ruim, pode terminar ainda pior. Quarta-feira, o time defende dois gols de vantagem sobre o Figueirense no jogo de volta, em Florianópolis (venceu por 2 a 0 em casa), e imagine só se não se classificar para as quartas-de-final. E tem mais. Domingo encara o São Paulo, clássico local que não pode pensar em perder, principalmente depois de só conseguir um ponto em dois jogos do Campeonato Brasileiro. Os jogadores perceberam a responsabilidade e começam a dar as primeiras mostras de que o ambiente corre o risco de ficar bem mais pesado. "Alguma coisa tem de mudar no time, do jeito que está não pode continuar", reclamou o atacante Carlos Tevez logo após a derrota para o Botafogo, ontem, por 3 a 1. O também argentino Sebá pôs pingos nos is hoje, no Parque São Jorge, e pediu para a torcida não achar que o time é imbatível. "Galácticos são Pelé e Maradona. Somos terrestres mesmo e não somos invencíveis", desabafou o zagueiro. Um grupo considerado favorito, mas que pena para mostrar isso em campo. Empatou na estréia, 2 a 2 com o Juventude, e perdeu no Rio, 3 a 1 para o Botafogo. "A gente tem muito a evoluir, por isso vamos continuar treinando forte. Ninguém esperava chegar no começo da competição no auge", comentou o zagueiro e capitão Anderson após a última partida. Anderson não pensou duas vezes ao ser questionado sobre o ambiente no Parque São Jorge. "Estamos em crise, mas pelo resultado contra o Botafogo, não pela briga do Marquinhos com o Tevez", afirmou, referindo-se ao desentendimento entre o astro argentino e o zagueiro reserva no treinamento de sexta-feira. Segundo ele, o fato já está superado. "Eles já se falaram, pediram desculpas um ao outro." O silêncio é a arma para evitar a crise. Hoje, apenas Sebá apareceu para falar com a imprensa. Passarella falou nos vestiários do Estádio Luso-Brasileiro, domingo, mas antes evitou os repórteres por dois dias seguidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.