Passarella: "Campeão? Só com bruxaria"

"Yo no creo en brujas, pero que las hay, las hay." O técnico Daniel Passarella usou o velho ditado espanhol ("não acredito em bruxas, mas que elas existem, existem") para resumir as chances matemáticas que o Corinthians tem de ser campeão paulista. Para que o título mude de mãos, o time do Parque São Jorge tem de vencer Ituano, Portuguesa e Portuguesa Santista, torcer para que o líder São Paulo não ganhe nenhum ponto em três rodadas e ainda descontar 13 gols de saldo (28 a 15). "É muito difícil. O São Paulo só perdeu um jogo até agora", opinou Passarella. Realista, o treinador reafirmou sua meta: acertar a equipe para o Campeonato Brasileiro. "É para isso que fui contratado. Não vou me desviar do objetivo", disse, ponderando que, evidentemente, também tentará a vaga na Copa do Brasil, diante do Cianorte, quarta-feira, no Pacaembu - precisa vencer por quatro gols. "Vamos buscar o resultado." MUDANÇAS NO TIME - Festejado pela boa atuação na vitória por 2 a 0 sobre o Corinthians, o meia Hugo mantém a humildade e não pensa em tomar o lugar do meia Roger - que volta à equipe contra o Ituano, domingo, no Pacaembu. "O Roger é muito importante para o Corinthians", disse, cauteloso. "Quem sabe, posso jogar com ele e o Carlos Alberto. Ficaria feliz se isso acontecesse." Mas Passarella não pretende, por hora, colocar em campo uma formação tão ofensiva. Questionado se o trio tem chances de atuar junto, foi irônico. "E poderíamos chamar o Rivellino e o Sócrates para completar o meio-campo", brincou o argentino. O lateral-esquerdo Gustavo Nery também tem retorno assegurado. Passarella confirma o time no treino deste sábado pela manhã, no Parque São Jorge.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.