Passarella elogia, mas queria mais gols

O técnico Daniel Passarella ficou satisfeito com a vitória do Corinthians sobre a Portuguesa Santista por 3 a 0, resultado que deu ao time o vice-campeonato paulista. Só atuando com reservas, ele destacou o empenho dos jogadores e disse que eles podiam ter feito mais gols. "Eles me agradaram", disse. Mas isso não quer dizer que os atletas que jogaram hoje em Santos permanecerão no elenco. Passarella vai se reunir com o grupo, conversar com os jogadores que deixarão o Corinthians e só depois falará sobre a lista de dispensas. "Ainda não defini nada, primeiro preciso falar com os jogadores pois esse é meu costume", disse ele, comentando que fará uma reunião com Kia para discutir o assunto. O treinador evitou comentários individuais sobre o futuro dos jogadores que atuaram hoje, especialmente Dinelson, que jogou bem. "Todos os jogadores me convenceram, todos jogaram muito bem", disse, simplesmente. Segundo Passarella, os jogadores que ficarem no Corinthians terão de competir. "Eu falo para eles que precisam treinar muito bem, que devem estar sempre preparados para aproveitar a oportunidade de jogar. Eles cumpriram isso, estou muito contente, mas se não necessitar de algum atleta, vou emprestá-lo para que não perca o ritmo de jogo". Mesmo tendo escalado o time reserva, Passarela comentou que exigiu a vitória para conquistar o vice-campeonato. "Eles compreenderam e jogaram muito bem". O treinador reclamou da falta da pré-temporada, que está provocando muitas contusões no time. O goleiro Fábio Costa ficou satisfeito com a vitória sobre a Portuguesa Santista, mas reclamou do gramado. "A bola quicou muito, mas conseguimos fazer um bom resultado", comentou. Rosinei, que marcou o terceiro gol, deixou o campo comentando que todos os jogadores mostraram que têm condições de continuar no Corinthians. "Nosso time é muito forte e demonstrou mais uma vez isso mesmo jogando sem os titulares e o importante é que o resultado nos deu o vice-campeonato". Dinelson, que marcou um bonito gol hoje em Ulrico Mursa, estava preocupado com seu futuro. "Ajudei o Corinthians e agora vou esperar para ver o que vai acontecer". Ele espera a avaliação do técnico Passarella, mas confessa que não sabe o que passa na cabeça do treinador. "Estou tranqüilo e, independente do que acontecer, sei do meu potencial e do que posso fazer dentro de campo. Então, vou deixar na mão da diretoria e de Passarella. Cabe a eles ver o que é melhor para mim". O jogador comentou que o resultado - a vitória por 3 a 0 que garantiu o vice-campeonato ao Corinthians - é um motivo de alívio. "Se tivesses ficado em terceiro, íamos ser cobrados. Não dava mais para ser campeão, mas conseguimos o segundo lugar e isso é o importante".

Agencia Estado,

17 de abril de 2005 | 19h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.