Passarella já é ?inquestionável?

Se o retrospecto do técnico Daniel Passarella for mantido, vai ser difícil alguém tirar do clube o título do Campeonato Brasileiro. Perdeu um único jogo em 11 disputados e mesmo assim pode-se atenuar a única derrota, por 3 a 0 para o Cianorte, dia 9 de março, ao lembrar que o treinador havia acabado de chegar ao Parque São Jorge, tinha feito apenas dois treinos antes do confronto pela Copa do Brasil. ?Para mim, não perdi nenhuma, já esqueci o Cianorte?, brincou.A equipe está há dez jogos invicta: 7 vitórias, três empates. Após os 2 a 0 sobre o Figueirense, anteontem, no Pacaembu, o time deu passo importante para chegar às quartas-de-final da Copa do Brasil. Carlos Tevez marcou um gol, Marcelo Mattos fez o outro, mas o personagem do dia foi o técnico argentino. Minutos antes de a partida começar, seu nome foi gritado pelos mais de 34 mil corintianos que lotaram o estádio do Pacaembu. ?Hoje ninguém me chamou de burro, estou feliz?, comentou Passarella.Domingo, o Corinthians inicia sua jornada no Brasileiro. O primeiro adversário é o Juventude, novamente no Pacaembu. ?Se continuarmos evoluindo, temos boas chances?, comentou o curinga Rosinei, destaque contra o Juventude. Carlos Alberto, criticado pelos torcedores, também se mostra otimista. ?As vezes reclamam de algumas coisas sem fundamento. Estamos vencendo, marcando gols, a tendência é melhorar ainda mais?, espera.Com base nos números, Carlos Alberto tem razão ao contestar as críticas. Desde que Passarella assumiu o time, 23 gols marcados, 10 sofridos, 13 de saldo. A competência do técnico ainda precisa ser melhor testado. A competição nacional será a prova decisiva. Em seus 45 dias no clube, soube administrar problemas como a briga entre Carlos Alberto e Carlos Tevez (quando o embate, em um treino, ocorreu, o treinador ainda não havia assumido, chegou dias depois, em meio à repercussão sobre o assunto). Na ocasião, afirmou com rigidez. ?Problemas entre os jogadores acontecem, mas não admito nenhum tipo de estrelismo ou privilégio?, declarou.O habilidoso meio-campista Roger, pouco afeito aos treinamentos e muitas vezes considerado displicente nas partidas, foi posto contra a parede. ?Ele é um ótimo jogador, mas está fora de forma, por isso ficará afastado 10 dias da equipe titular, treinando separadamente?, anunciou Passarella após substituir por quatro vezes consecutivas o até então inquestionável jogador. ?O técnico tem a última palavra, acho que eu não venho rendendo o esperado mesmo, aceito a decisão?, resignou-se o meia.A maior vitória, no entanto, obteve ao estimular entre os não-estrelas, ex-juniores, o desejo de ganhar uma vaga. Ameaçou elaborar uma lista de dispensa, fez os garotos tremerem, voltou atrás e deixou todos satisfeitos. Enfim, credenciou-se para comandar o time no Brasileiro e deixou para trás as suspeitas de, como treinador, não estar à altura do Corinthians.MARQUINHOS - O zagueiro reserva Marquinhos está perto de acertar com o Atlético-MG. O ex-técnico corintiano Tite pediu sua contratação e o jogador se mostrou favorável à transferência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.