Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Passarella manda Gil para o banco

Praticamente sem aspirações no Campeonato Paulista, o Corinthians vai usar o jogo deste domingo, contra o Santo André, às 18h, no ABC, como um laboratório. Na prática, Daniel Passarella quer acertar o time para o jogo mais importante da temporada, no dia 6 de abril, contra o Cianorte, pela Copa do Brasil. O Corinthians precisa tirar uma diferença de três gols para manter as esperanças de chegar à Copa Libertadores. "O Campeonato Paulista ficou distante para nós. Temos de aproveitar bem esse período até a segunda partida contra o Cianorte para preparar o time. Os jogos que teremos serão competitivos e me ajudarão. Quero vencer o Santo André e os outros, mas não vou perder o foco que estarei montando a equipe para a Copa do Brasil", ressaltou Passarella. Seguindo o script, o treinador também fez mudanças práticas. Sem o zagueiro Sebastian Domingues, suspenso por ter ameaçado brigar com Luizão após o clássico contra o São Paulo, Betão será o companheiro do capitão Anderson na zaga. Além disso, Passarela mexeu nas duas laterais: com a ascensão de Gustavo Nery a titular da lateral-esquerda, Edson, que vinha jogando improvisado naquela posição, volta para a direita, deixando Coelho no banco de reservas. Insatisfeito com a ?pegada? do time, o treinador mexeu também no meio-de-campo. Marcelo Mattos treinou como titular no coletivo de sexta-feira, tendo ao seu lado Fabrício. E ainda recomendou aos dois meias, Roger e Carlos Alberto, que tenham uma participação maior na marcação. "Eu quero o time mais compacto. Não pode ficar dando espaço. Se possível, quero toda a equipe atrás da linha da bola quando o adversário a recuperar no seu campo. Fui bem específico principalmente com o Roger. Ele saiu no Paraná porque não foi solidário. O Corinthians daqui para a frente precisa priorizar o conjunto. Temos talento individual, mas para ganharmos a partida tem de prevalecer o conjunto", deixou claro o técnico argentino. No treinamento tático de hoje, mais uma surpresa. Na hora de distribuir os coletes para os jogadores, Passarella entregou o dos reservas a Gil. O atacante foi pego de surpresa e não conseguiu difarçar o ar de decepção, estampado em seu rosto. A sua vaga no time titular ficou com Bobô, segundo o próprio atacante. "Ele (Passarella) não me pediu muita coisa. Só disse para eu ficar tranqüilo e para jogar o que eu sei. É o que vou procurar fazer". Gil assimilou o golpe, mas não ficou surpreso com a reserva. "Não sei porque, mas eu já estava sentindo que isso poderia acontecer. Desde o último jogo percebi que havia qualquer coisas errada para o meu lado". Por coincidência ou não, ele já não tinha participado do coletivo de sexta-feira, com dores musculares, a exemplo de Tevez. Só que o argentino está escalado e Gil não. Por tudo isso, um repórter quis saber se isso pode ser o começo do fim de Gil no Corinthians. A resposta clara. "É, pode ser o começo do fim". Também ficou definido que a partir do jogo de amanhã, contra o Santo André, no ABC, Carlos Alberto é o novo cobrador oficial de pênaltis. "Pela frieza e pela precisão", segundo Passarella.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.