Passarella pede reforços com urgência

Daniel Passarella exige urgência. O técnico corintiano quer reforços "para ontem". "Preciso que eles cheguem o mais rápido possível." O argentino diz que não há uma "data limite", mas tem pressa porque quer criar e entrosar logo uma base para jogar o Brasileirão como titular. O treinador tem tido vários problemas de lesões no elenco e, por essa razão, acredita não ter conseguido dar à equipe um bom padrão de jogo ainda. Passarella quer três reforços, mas não cita nomes nem para quais posições são suas necessidades. "Só posso dizer que dei ao Kia (Joorabchian, da MSI) quatro ou cinco opções para cada posição." A prioridade, claro, é mais do que evidente: um centroavante. Nos últimos dez jogos, Jô e Bobô, que têm se revezado ao lado de Carlitos Tevez, passaram em branco. Não marcaram um golzinho sequer. Nem torcida nem Passarella têm mais paciência com eles. Kia Joorabchian, o homem forte da MSI, está na Europa tentando satisfazer a vontade de Passarella. O iraniano quer fechar logo a contratação de Vágner Love, do CSKA. O negócio vem se arrastando desde o início do ano. Com o jogador, Kia já tem tudo acertado. Falta definir com o clube russo o valor da transferência. Se o negócio não for concretizado, Kia vai tentar um "plano B". Ele não admite publicamente, mas Luís Fabiano é uma boa alternativa que ele vem estudando. O jogador está encostado no Porto, de Portugal, e poderia ser emprestado até o final do ano. Deivid, do Santos, Fred, do Cruzeiro, e Fernandão, do Inter, são as outras opções. Passarella também estaria interessado na contratação de mais um zagueiro, já que o capitão Anderson está de saída para o Benfica, de Portugal. Para a posição de volante, o técnico praticamente descartou a contratação do argentino Javier Mascherano, do River Plate. "O Marcelo Mattos está muito bem e temos outras prioridades para contratações", disse hoje Passarella, reiterando uma posição que ele já havia deixado clara em entrevista publicada na terça-feira pelo Diário Olé, da Argentina. O visitante indesejado - O técnico quer que o time corintiano recupere contra o Botafogo, domingo, no Rio de Janeiro, os pontos que perdeu no empate com o Juventude no Pacaembu. A idéia é manter o ótimo retrospecto fora de casa: o Corinthians venceu os quatro últimos jogos em que atuou como visitante. Como mandante, porém, o time empatou quatro das últimas sete partidas. Para o zagueiro Betão, a explicação para isso está na dificuldade de jogar em casa contra adversários "que vêm fechadinhos na defesa". O jogador explica: "Quando jogamos fora de casa, os outros times vêm pra cima e acabam dando espaços para usarmos os contra-ataques."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.