Passarella: Vitória pelo psicológico

Pode até não valer muito para o Estadual uma vitória neste domingo sobre o arqui-rival Palmeiras mas todos no Corinthians sabem bem que novo tropeço em clássico seria um peso difícil de suportar. "Ganhar é sempre bom, e superar um adversário tradicional como este tem importância psicológica para o grupo", sintetizou as motivações corintianas para o jogo o técnico Daniel Passarella.Nos dois clássicos disputados no Paulista, somente derrotas. Primeiro, o humilhante 3 a 0 diante do Santos, depois, 1 a 0 para o São Paulo - o comando nas duas ocasiões estava nas mãos de Tite. "Os bons resultados vão aparecer, não há motivo para pressa, vão surgir com o tempo", comentou o atual treinador, calmo até demais em alguns momentos. "Ainda estou tranqüilo, talvez mais perto do instante de iniciar a partida, ficarei ansioso", disse sexta-feira.Passarella usou a semana para conhecer melhor seus atletas. Quinta-feira, promoveu uma revolução na equipe, mudando cinco jogadores e deixando desesperados os repórteres que ficaram a ver navios em relação aos prováveis titulares. "Vocês estão confusos?", perguntou aos jornalistas. "Eu também estou", completou.Após várias experiências, no entanto, tudo indica que irá manter a base que venceu o Santo André (3 a 2), há uma semana. Sebá deve ficar na zaga e Coelho, na lateral-direita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.