Rodrigo Coca/Divulgação
Rodrigo Coca/Divulgação

Pato celebra gols e fim da 'má sorte' no Corinthians

Sem marcar desde as quartas de final do Paulistão, atacante se diz feliz com fim do jejum

AE, Agência Estado

07 de julho de 2013 | 19h37

SALVADOR - Alexandre Pato vai curtir a folga que os jogadores do Corinthians ganharam para segunda-feira sem nenhum peso na consciência. Os dois gols que marcou na vitória por 2 a 0 sobre o Bahia, em Salvador, pelo Brasileirão, lhe darão tranquilidade em um momento que havia um certo questionamento no clube quanto à sua contratação - até o presidente Mário Gobbi havia saído em sua defesa na quinta-feira, no dia do lançamento do uniforme azul usado neste domingo.

Pato não marcava um gol desde o dia 28 de abril, nas quartas de final do Paulistão, na vitória por 4 a 0 contra a Ponte Preta. Já eram dez jogos de jejum. Segundo ele, faltava-lhe sorte. "Não posso falar ?inhaca?, mas sim má sorte. Estava trabalhando muito, treinando muito as finalizações. Hoje consegui fazer dois gols e o mais importante que são os três pontos que conquistamos."

Pato disse que ficou feliz com sua atuação e que está em melhor forma em relação ao início da temporada. Ele só desconversou sobre a maneira como comemorou os gols, colando a mão entreaberta, tampando parte do rosto. "É uma coisa boba, vocês vão ficar sabendo. Vocês vão descobrir ainda e logo quero fazê-la de novo."

O atacante assume definitivamente a posição de titular, uma vez que Emerson, seu concorrente pela vaga, continua machucado e a previsão de retorno é de duas semanas. O próximo jogo pelo Brasileirão é domingo que vem contra o Atlético-MG no Pacaembu.

Já o meia Renato Augusto, que estava voltando ao time depois de um longo período afastado por contusão, sofreu uma séria lesão. Ele deixou o campo com suspeita de fratura no rosto após ter se chocado com o atacante do Bahia, Souza, ex-Corinthians. Era o primeiro jogo do meia como titular após ter se recuperado da lesão muscular na coxa direita.

Renato Augusto foi substituído após esse choque com Souza no início do segundo tempo. Abatido, estava chorando quando foi atendido pelos médicos. Segunda-feira ele deve passar por exames mais detalhados para avaliar o grau da lesão. No Flamengo, em 2008, ele também sofreu lesão semelhante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.