Marcio Fernandes/Estadão
Marcio Fernandes/Estadão

Pato faz três e comanda vitória do São Paulo sobre o Capivariano

Atacante são-paulino desencanta, faz três gols e dá passe para Alan Kardec marcar o quarto na vitória por 4 a 2 no Pacaembu

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

04 de fevereiro de 2015 | 21h25

"Quando o Pato entrar vai ser muito difícil sair". A frase de Muricy Ramalho, dita há alguns dias, pode ter começado a ser confirmada nesta quarta-feira. Em sua primeira partida como titular na temporada, o atacante roubou a cena e foi o principal nome do São Paulo na tranquila vitória por 4 a 2 sobre o Capivariano no Pacaembu. Pato marcou três e ainda deu o passe para Alan Kardec selar o placar.

Com 15 intermináveis rodadas na enfadonha fase de classificação, transformar as partidas em algo produtivo é uma missão criativa para qualquer treinador, mas Muricy Ramalho parece ter compreendido a oportunidade e surpreendeu ao lançar Lucão e Pato entre os titulares para rodar o elenco e dar chance a todos antes do início da Libertadores.

É bem verdade que o Capivariano não pode ser considerado um sparring à altura, mas neste princípio de temporada o mais importante é construir um conceito. E, a menos que o tempo se encarregue de provar o contrário, jogar com dois meias e dois homens de frente (como no ano passado) é o melhor caminho para o Tricolor se solidificar taticamente já no início da temporada.

O fato é que o São Paulo já poderia ter matado o jogo – com goleada – na primeira etapa. Explorando os avanços de Bruno e Michel Bastos e a qualidade no passe de Maicon e Ganso, o time bombardeou o rival e viu a bola beijar a trave de Douglas. Mas Pato não deixou que o placar virasse zerado e marcou logo duas vezes, aos 34 e 39, ao concluir boas triangulações com Maicon, Michel Bastos e Ganso.

Se o rival não mete medo em ninguém, cumpre dizer que Pato traz colorido diferente ao time. Ele não tem o instinto matador de Luis Fabiano, mas dá dinâmica especial ao setor ofensivo abrindo espaços e trazendo uma mobilidade que nenhum outro atacante consegue. Foi dessa forma que, aos nove da etapa final, ele apareceu sozinho e rolou bola açucarada para Alan Kardec deixar o dele.

Nem mesmo o gol de Willian Favoni, aos 21, foi capaz de estragar o apetite de Pato, que transformou o resultado em goleada no minuto seguinte e recebeu a devida deferência de companheiros e torcedores.

É claro que o time não está pronto, e ainda alterna altos e baixos. O sistema defensivo ainda está longe do ideal, mas a composição com Reinaldo na lateral-esquerda estancou em parte a sangria pelos lados. Mas o gol de Everton Dias deixou claro que ainda é preciso acertar o time.

Deu tempo ainda de a torcida passar a vaiar Maicon, que iniciou a jogada do primeiro gol, deu o passe para o segundo e foi um dos melhores em campo. Apesar das ofensas, Muricy o bancou até o fim.

Agora Muricy Ramalho terá tempo de sobra para descobrir onde encaixará Pato na equipe. Depois da exibição de ontem, no banco de reservas é que não pode ser.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 4 X 2 CAPIVARIANO

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Bruno, Rafael Toloi (Edson Silva), Lucão e Reinaldo; Denilson, Maicon, Michel Bastos e Ganso; Alexandre Pato (Luis Fabiano) e Alan Kardec (Jonathan Cafu). Técnico - Muricy Ramalho.

CAPIVARIANO - Douglas; Régis, Fernando Lombardi, Marllon e Hélio; Everton Dias, Wigor, Antônio Flávio (Wilian Favoni) e Ailton; Willen (Rodolfo) e Francis (Esquerdinha). Técnico - Ivan Baitello.

GOLS - Alexandre Pato, aos 34 e aos 39 minutos do primeiro tempo; Alan Kardec, aos 9, Wilian Favoni, aos 21, Alexandre Pato, aos 22, e Everton Dias, aos 25 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Flávio Rodrigues Guerra (SP).

CARTÃO AMARELO - Não houve.

RENDA - R$ 240.995,00.

PÚBLICO - 7.498 pagantes (7.650 total).

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.