Divulgação
Divulgação

Pato não joga no Chelsea e frustra planos do Corinthians

Clube paulista vê diminuir chance de vender atacante em junho

Vítor Marques, O Estado de S.Paulo

15 de março de 2016 | 07h00
Atualizado 15 de março de 2016 | 07h00

O Corinthians está apreensivo com a situação do empréstimo do atacante Alexandre Pato, que está no Chelsea. Isso porque os planos de vender o jogador no meio do ano podem fracassar. Um mês e meio após desembarcar em Londres, o jogador sequer estreou na equipe inglesa e sua contratação já está sendo contestada. 

O tempo é curto para que Pato mostre seu jogo na Europa e se valorize. Com a eliminação do Chelsea na Liga dos Campeões, o atacante terá no máximo mais doze jogos até o fim de se contrato – oito pelo Campeonato Inglês e quatro pela Copa da Inglaterra, caso o time londrino chegue à final.

Pelo acordo assinado em janeiro, o Chelsea não paga nada pelo empréstimo de Pato, mas arca com o salário do atleta (R$ 800 mil por mês. O contrato dá ao clube inglês a opção de comprar os direitos econômicos do jogador por 12 milhões de euros (cerca de R$ 48,6 milhões) – 60% pertencem ao Corinthians, e os 40% são do próprio Pato.

Caso o clube não queria continuar com Pato, uma opção é devolvê-lo ao Corinthians ao final da temporada europeia, em junho. É o pior cenário para o clube paulista, que teria de procurar novo clube para o atacante com urgência. Pelo contrato, em dezembro ele pode ser negociado sem vínculo entre as partes. Isto é, o Corinthians teria que deixá-lo sair de graça.

O empresário do atleta, Gilmar Veloz, disse que ainda é cedo para traçar qualquer cenário. Segundo ele, “é preciso ter calma, é um processo longo. O Pato chegou ao Chelsea em um momento que o time começou a ganhar”, afirmou.

Na Inglaterra, no entanto, a contratação de Pato tem sido questionada por diversos jornais. O The Telegraph foi o mais duro ao comentar a chegada do jogador: “Pato é uma das contratações mais inúteis”. Já o The Sun informou que o Chelsea já tomou a decisão de devolvê-lo ao Corinthians porque o atacante estaria fora de forma.

A última partida que disputou foi no dia 28 de novembro, pelo Brasileirão, quando ainda defendia o São Paulo. Sua negociação com o Chelsea teria sido uma indicação de José Mourinho. Logo depois o treinador português foi demitido. Seu substituto, o holandês Guus Hiddink não deu chance a Pato.

O bom momento de Diego Costa após a chegada de Guus Hiddink e a venda frustrada do francês Hemy também diminuíram suas chances. No sábado, pelo segundo jogo consecutivo o atacante brasileiro foi cortado até mesmo do banco de reservas. Por conta do alto salário do jogador, o Corinthians desconsidera contar com ele no elenco no segundo semestre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.