JF Diorio,/Divulgação
JF Diorio,/Divulgação

Pato reclama e diz que 'coisas internas tem ido a público' no São Paulo

Atacante afirma que o clube precisa melhorar o ambiente político

CIRO CAMPOS, O Estado de S. Paulo

24 de setembro de 2015 | 08h16

Se dentro de campo Alexandre Pato é o artilheiro do São Paulo com 24 gols na temporada, fora dele alguns aspectos ainda precisam melhorar. O atacante disse nesta quarta-feira, após a vitória por 3 a 0 sobre o Vasco, pelas quartas de final da Copa do Brasil, que o clube precisa melhorar o ambiente político e evitar o vazamento para a imprensa de informações que deveriam ficar mais restritas.

"As coisas internas tem ido a público. Para proteger o elenco e a comissão técnica, é melhor que isso nos vazasse. Temos que nos fechar. As coisas extra-campo têm que ficar mais reservadas", comentou o atacante. Pato marcou os dois primeiros gols da vitória no jogo de ida das quartas de final da competição. O confronto de volta será na próxima quarta-feira, em São Januário.

O ambiente no clube ficou turbulento nas últimas semanas com a demissão do diretor-executivo Alexandre Bourgeois, que havia assumido um cargo recém-criado e chegou indicado pelo empresário Abílio Diniz. Ao deixar o posto, o dirigente criticou a gestão e disse ter sido ameaçado de agressão por um assessor do presidente do clube, Carlos Miguel Aidar. O novo ocupante do cargo na diretoria é Paulo Ricardo de Oliveira.

Segundo o atacante, com o acesso à internet e smartphones fica impossível não saber o que acontece no clube e esse conhecimento às vezes pode influir no rendimento do time dentro de campo. Pato pediu para que as informações não atrapalhem o trabalho do técnico Juan Carlos Osorio e relembrou que a semana é importante por ter no domingo o clássico com o Palmeiras, no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro.

O artilheiro time afirmou que para vencer o rival será necessário repetir o nível da atuação contra o Vasco. "Temos que entrar com a mesma vontade, explorar a parte ofensiva, que tem ido bem. Assim vamos buscar um bom resultado contra o Palmeiras, que quer uma vaga na Libertadores, assim como a gente".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.