Patrocinadora do Brasil vai distribuir bolas 'indestrutíveis'

Iniciativa da General Motors é para diminuir o desperdício com o descarte de bolas de futebol furadas e ajudar escolas carentes

Cleide Silva, O Estado de S. Paulo

15 de agosto de 2014 | 14h47

Distribuir no Brasil mais de 5 mil bolas de futebol a comunidades carentes faz parte do projeto da General Motors, que nesta sexta-feira anunciou que será a nova patrocinadora da Seleção Brasileira para os próximos cinco anos. O diferencial da bola, batizada de One World Futbol, é que é "virtualmente indestrutível" e não se esvazia.

"Ela pode durar mais do que centenas de bolas padrão, eliminando o desperdício com o descarte de bolas de futebol furadas e o transtorno da compra de bombas e agulhas", explica a GM. A bola também está sendo distribuída em vários países e seu desenvolvimento foi bancado pela GM americana. A produção é de responsabilidade de uma empresa de Taiwan.

A bola foi apresentada em abril pelo Projeto One World Futbol e "vem ajudando escolas, orfanatos e organizações sem fins lucrativos a usar o esporte para solucionar conflitos, ensinar a tolerância e construir comunidades sem violência", afirma Marco Aurélio Pacheco, diretor de Marketing da GM do Brasil.

Na quinta-feira, ela foi mostrada na sede da GM em São Caetano do Sul pelos dirigentes da montadora e pelo presidente da CBF, José Maria Marin.

Segundo Pacheco, que tem parcerias com o grupo social mantido pelo cantor Sting, a bola foi projetada para quicar mais baixo para jogos recreativos em superfícies mais duras como ruas, terrenos rochosos ou terra batida, pátios escolares, mas também para uso na grama normal e sintética.

A ideia de criar a bola indestrutível nasceu em 2006, quando Tim Jahnigen – hoje coordenador do Projeto One World, assistia a um noticiário sobre jovens refugiados jogando futebol no Sudão, num campo de terra batida, com uma bola que eles tinham feito amarrando lixo com barbante.

Jahnigen percebeu que havia uma necessidade global por uma bola praticamente indestrutível que pudesse suportar as mais duras condições enfrentadas diariamente por jovens que vivem em campos de refugiados, áreas de desastres e em comunidades de baixa renda. Buscou patrocínio e nasceu a One World Futbol, que tem o mesmo tamanho e peso de uma bola de futebol padrão, mas pode ser usada em outros tipos de jogos.

Tudo o que sabemos sobre:
seleção brasileirafutebolbola

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.