Paulinho exalta aplicação tática do ataque corintiano

Apesar da derrota do último domingo diante do Cruzeiro, por 1 a 0, o Corinthians segue na liderança do Campeonato Brasileiro, com 28 pontos. A equipe ainda possui a melhor defesa da competição, com apenas cinco gols sofridos em 11 partidas. Para os jogadores, no entanto, o mérito por esses números não é apenas dos zagueiros.

AE, Agência Estado

27 de julho de 2011 | 15h15

"Estamos entrosando bem com a sequência de jogos. O Danilo, por exemplo, teve essa sequência e agora está bem. Então este poder de marcação vem desde lá da frente, com eles marcando. A gente também marca e sabe que lá na frente tem jogadores que são capazes de decidir. Mas isso vem com sequência de jogo", declarou o volante Paulinho, nesta quarta-feira, ao Sportv.

A partida do último domingo marcou apenas a primeira derrota do time paulista no Brasileirão. Até por isso, o jogador aponta que ela aconteceu "na hora certa". "Nenhum time quer perder, mas perdemos na hora certa. Claro que não existe hora certa para perder, mas continuamos na liderança e agora é trabalhar para conseguir a vitória diante do Avaí (adversário do próximo domingo)", avaliou.

Paulinho vem sendo muito elogiado por suas atuações, assim como seu companheiro de meio-campo Ralf, que ganhou uma vaga na seleção brasileira. O jogador espera dar sequência no bom futebol para seguir os passos do amigo e ganhar uma chance com Mano Menezes.

"Antes do profissionalismo no Corinthians, tem nossa amizade fora de campo e a gente sempre conversa, quando temos tempo para bater um papo, sair com as famílias. Então, esperávamos essa convocação, estou ao lado dele (Ralf) e acho muito merecido. Agora é trabalhar e esperar o meu momento", afirmou.

Tanto Paulinho quanto Ralf fazem parte de uma sequência de bons volantes que passaram pelo Corinthians desde 2008. Antes deles, Cristian, Elias e Jucilei já haviam se destacado na posição. "A competência da direção é grande. Os volantes que vieram para cá se identificaram muito com a torcida. O mérito é da diretoria pelas contratações, todas com nível de seleção brasileira", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.