Paulinho garante que não se abate com as críticas na seleção

Volante voltou a atuar mal e foi substituído por Fernandinho

AE, Agência Estado

23 de junho de 2014 | 20h42

Paulinho foi titular do Brasil nos três jogos da primeira fase. Produziu pouco diante de Croácia e México e poderia ter tido uma história melhor diante de Camarões se seu chute na área logo no início da partida não tivesse sido travado. Mas o volante voltou a atuar mal e foi substituído por Fernandinho no intervalo. O jogador do Manchester City entrou muito bem, mudou o jogo, marcou um gol, e ganhou a torcida, que agora quer vê-lo como titular.

Paulinho reconhece que o momento não lhe é favorável, mas garante que não se abala com a situação. "Não fico abatido e nem chateado. Claro que venho buscando meu 100%, claro que ainda falta um pouquinho. Eu vou buscar, não vou ficar chateado, pelo contrário. Na minha vida tudo sempre aconteceu de forma natural. Soube sempre esperar meu tempo, minha oportunidade", comentou o jogador do Tottenham, após a partida no Mané Garrincha, em entrevista ao SporTV.

Na opinião do próprio Paulinho, porém, suas atuações têm sido melhores jogo a jogo. "Eu estou vindo de uma evolução, estou crescendo, ainda não cheguei ao meu ponto ideal. O mais importante para mim foi como me comportei ao lado do Luiz Gustavo, dominando os espaços. Acho que falando assim de mim, foi importante para mim por jogar mais forte, por voltar a atuar da forma com atuamos na Copa das Confederações."

O volante assegura que o importante é o crescimento do time, que vai pegar o Chile nas oitavas de final da Copa. "Estou muito feliz pela classificação, pela atuação, feliz pelo Fernandinho. Todos que vêm entrando vem dando conta do recado", apontou. Ele, porém, sabe que pode perder a posição. "Os 23 que aqui estão têm qualidade para de ser titular. Todos brigam por uma posição e isso é normal. E agora é trabalhar e deixar na mão do professor Felipão."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.