José Patrício/AE
José Patrício/AE

Paulinho mira sequência e 'grande jogo' pela seleção

Volante destaca sequência de convocação como fator mais importante para manter bom nível da equipe

VÍTOR MARQUES, Agência Estado

18 de setembro de 2012 | 14h33

GOIÂNIA - O volante Paulinho ressaltou nesta terça-feira a importância de a seleção brasileira vencer a Argentina no amistoso desta quarta, às 22 horas, no Serra Dourada, em Goiânia, no jogo de ida do Superclássico das Américas. O jogador do Corinthians exibiu confiança em um bom resultado do Brasil, em meio a este momento de muitas críticas ao time nacional, e mirou uma sequência de partidas na equipe comandada por Mano Menezes.

"Sabemos da rivalidade que existe e o pensamento é de fazer um grande jogo, conseguir um resultado positivo que é nossa maior objetivo diante da Argentina", afirmou Paulinho, lembrando que os novatos da seleção que atuam no Brasil terão duas boas chances de provar valor ao técnico da seleção, pois no próximo dia 3 de outubro haverá um novo duelo diante da Argentina, em Resistência, casa do rival, também sem a presença dos atletas que atuam no exterior.

Ao ser questionado se o entrosamento com Ralf e Fábio Santos, outros dois corintianos convocados para este amistoso de quarta-feira, o ajudará a brilhar pela seleção, Paulinho disse que o mais importante é estar marcando presença com frequência na seleção, independentemente de quem Mano escalar no time titular.

"Independentemente de quem joga, cada um quer cavar o seu espaço, o objetivo é retornar mais vezes à seleção, isso (o entrosamento com Ralf e Fábio Santos) não influencia muito. Cada um está buscando seu espaço. A oportunidade tem de ser aproveitada", disse.

Já ao comentar o fato de que a seleção fará o seu terceiro jogo consecutivo em casa, depois de ter sido muito vaiada na vitória por 1 a 0 sobre a África do Sul, no Morumbi, e festejada na goleada por 8 a 0 sobre a China, em Recife, ele lembrou que o importante será jogar bem para, desta forma, conquistar o público. "Sabemos da responsabilidade que é servir a seleção para que o torcedor fique ao nosso lado, vamos fazer nosso papel para que ele nos apoie", prometeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.