Paulista começa bagunçado fora de campo

Fiscais, orientadores de público e policiais.Ninguém pode dizer que a Federação Paulista de Futebol (FPF) não tentou organizar. Balões, bolas gigantes, faixas, muita música (alta), apresentador, desfile de bandeiras dos clubes participantes e hino nacional. Ninguém pode dizer que a FPF não tentou fazer festa na partida de abertura do Campeonato Paulista, entre Atlético e Corinthians, nesta quarta-feira, em Sorocaba. Mas ficou claro que, quando não existe estrutura, o resto é paliativo.Antes de acompanharem tudo o que aconteceu dentro do estádio, os torcedores passaram por maus bocados. As dificuldades começaram na aquisição de ingressos. Como a cidade não recebia jogos da primeira divisão há 12 anos (na época representada pelo São Bento), os 12.500 entradas colocadas à disposição foram vendidas antecipadamente. Ou seja, aqueles que se deslocaram da capital para Sorocaba acabaram recorrendo aos cambistas. Arquibancadas, cujo preço oficial era de R$ 20,00, passaram para R$ 35,00. As numeradas saltaram de R$ 40,00 para R$ 70,00.A maratona estava apenas começando. Bilhete na mão, era hora de rezar para que a entrada não fosse pelo portão principal. Caso as preces não fossem atendidas, o jeito era encarar uma fila de quase 500 metros. É bem verdade que a chuva dificultou bastante a vida dos orientadores, sempre cordiais. Aliás, cada capa de chuva com garantia de "um pé d´água", como dizia o vendedor, tinha preço tabelado: R$ 10,00.Uma vez dentro do estádio, tudo passava a ser questão de entusiasmo e abstração das dificuldades. Para quem conseguiu adquirir uma capa para se proteger, o negócio era esquecer o pé molhado e se divertir com a estréia de sua equipe. Quem não conseguiu, divertia-se do mesmo jeito, mas tinha de torcer bastante para não pegar um resfriado.Campanha - Como tradicionalmente ocorre, o evento se tornou grande oportunidade para iniciar as campanhas políticas que vão marcar esse ano de eleições. Poucas vezes se viu tanta gente engravatada em um estádio. Somaram-se aos candidatos, parentes de candidato e amigos de candidato. Todos aproveitando o futebol para começar a arranjar votos.

Agencia Estado,

21 de janeiro de 2004 | 17h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.