Paulista comemora resultado no Palestra

Empatar com o Palmeiras, em pleno Parque Antártica, diante de um estádio cheio, foi considerado um ótimo resultado pela equipe do Paulista de Jundiaí. "Foi um bom resultado. Na próxima partida, em Jundiaí, nós vamos sair com a vitória", afirmou o atacante Izaías, peça importante na equipe do técnico Zetti, e que acredita que o jogo da volta será mesmo em Jundiaí. O caso será julgado terça-feira, no TJD.O meia Canindé, autor do gol do Paulista, ressaltou que o bom resultado dará tranqüilidade para trabalhar na próxima semana até a realização do jogo de volta. "Agora temos uma semana para nos preparar e vamos torcer para a partida ser mesmo em Jundiaí para que a nossa torcida encha o estádio como fez a torcida do Palmeiras, hoje, aqui", afirmou Canindé, apontando para as arquibancadas palmeirenses.O goleiro Márcio, de 22 anos, foi o desfalque na partida. O jovem jogador, que foi emprestado pelo São Paulo, sentiu cãibras nas duas pernas ao tentar interceptar um cruzamento do Palmeiras, no início do segundo tempo. Até sua saída, Márcio vinha sendo um dos destaques da partida, realizando defesas importantes para sua equipe, principalmente no primeiro tempo.Na jogada do primeiro gol do Palmeiras, Márcio reclamou da sorte: "Foi uma pena porque eu estava no lance, mas a bola bateu no Asprilla e me enganou." O goleiro não deverá ser problema para a próxima partida. No seu lugar entrou o terceiro goleiro Victor, de 21 anos, que não comprometeu. Rafael, o titular, também se recupera de uma contusão.A expectativa agora é para o julgamento no TJD, terça-feira, que pode tirar o mando de jogo do Paulista, em virtude dos acontecimentos ocorridos na partida contra a Ponte Preta, nas quartas-de-finais, no estádio Jaime Cintra.Ribeirão - Porém, boatos que circularam neste sábado no Parque Antártica davam como certa a realização do jogo em Ribeirão Preto, considerando que o resultado foi o empate por 1 a 1. Isto já estaria acordado entre os dirigentes dos dois clubes. A informação foi negada pelos dirigentes do time de Jundiaí. Gustavo Normanton Dolbin, diretor jurídico do Paulista, declarou: "Não há acordo. Pelo contrário. O presidente (Eduardo Palhares) mandou reforçar a nossa defesa para garantirmos o jogo em Jundiaí."Com o empate deste sábado e a decisão adiada para a segunda partida, Palhares não quer perder a vantagem de jogar em Jundiaí: "Na nossa história, nunca chegamos à semifinal do Campeonato Paulista. Vamos fazer de tudo que estiver ao nosso alcance para jogar em nosso campo. Jundiaí tem uma importante coletividade italiana e o Palmeiras sempre foi muito bem recebido lá. Não haverá problemas nenhum lá."

Agencia Estado,

27 de março de 2004 | 18h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.