Paulista de 2003 acaba sem prestígio

Depois de se vangloriar, durante décadas, de ter o melhor e mais bem organizado Estadual do País, a atual edição do Campeonato Paulista serviu para acabar com esse orgulho da Federação Paulista de Futebol (FPF). Desmoralizado e desorganizado, a competição entra em sua fase final do mesmo jeito que começou: bagunçada.Tudo começou com o desprestígio da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A entidade reservou apenas 12 datas para o evento em um claro sinal de descaso. Logo nas primeiras rodadas, começou o embate jurídico entre a Federação (entenda-se SBT) e a Rede Globo pelos direitos de transmissão. Após série de situações vexatórias, como equipes de tevê se enfrentando e funcionários de estádio tentando desligar câmeras, a Justiça decidiu que não haveria exclusividade e as transmissões foram liberadas. Isso sem falar dos jogos às 11 horas de domingo.Quando tudo parecia resolvido, a decisão se viu ameaçada por uma confusão envolvendo o regulamento. Confuso, o texto não deixa claro de qual clube é a vantagem nos dois jogos finais. A pendência ainda se arrasta, uma vez que o Corinthians solicitou que o Comitê Executivo da FPF se reúna para dar o parecer final. Porém, o presidente da entidade, Eduardo José Farah, já se pronunciou favorável ao São Paulo. Agora é aguardar!

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.