Paulista e PSV: novo prazo para acordo

O Paulista terá 15 dias para confirmar se aceita a proposta do PSV Eindhoven para realização de uma parceria entre as duas agremiações. Para tanto, o clube holandês disponibilizou ao presidente Eduardo dos Santos Palhares uma minuta do contrato para ser avaliado pela diretoria do time de Jundiaí.Apesar de não confirmar o conteúdo do contrato, se espera por investimentos holandeses em torno de US$ 8 milhões para a construção de um centro de treinamento, um sonho do clube brasileiro já projetado desde que a parceria com a Parmalat, empresa da área de laticínios. Para a manutenção do departamento de futebol serão destinados anualmente a quantia de US$ 1 milhão.O retorno do PSV aconteceria com parte do lucro da negociação de jogadores formados no Paulista. A prioridade também passaria a ser do clube holandês. A empresa proprietária do PSV - Philips, multinacional do setor de eletroeletrônicos - faria também um a remodelação do Estádio Jaime Cintra, em Jundiaí. Agora o clube precisa apresentar e obter a aprovação por parte do conselho deliberativo. A reunião com os conselheiros está marcada para a próxima semana.Esta é a terceira vez que o Paulista pode estar envolvido com uma parceria. Em 1995, acabou se tornando Lousano Paulista, em referência à empresa de cabos e conexões. Em 1998, virou Etti Jundiaí, atendendo exigência da Parmalat. E agora poderá se transformar em uma filial do PSV na América Latina e estampar a propaganda da Philips na camisa. O nome continuará sendo Paulista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.