Paulista faz pacto contra rebaixamento

Na temporada em que conquistou o maior título de sua história, a Copa do Brasil, o Paulista se vê numa situação complicada na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, ainda ameaçado pelo rebaixamento. Um pacto entre jogadores, comissão técnica e diretoria é a esperança, diante do Vila Nova, no Estádio Serra Dourada, nesta terça-feira, às 20h30. "Estamos todos no mesmo barco e conscientes de que só unidos poderemos superar esta situação. Mas não só trabalhamos com o fato de sairmos do rebaixamento como ainda de brigar por uma vaga na outra fase", explicou o técnico Vágner Mancini. A primeira meta foi atingida, sábado, com a vitória sobre a Portuguesa, em Jundiaí, por 3 a 0. "Voltamos a mostrar um futebol solidário e de qualidade", comentou. O elenco ficou concentrado no final de semana, com a delegação embarcando nesta segunda-feira para Goiânia. Mesmo assim, o Paulista está com 25 pontos, na perigosa 16ª posição. O objetivo é não deixar para se livrar na última rodada, no confronto direto com o Bahia, também seriamente ameaçado de cair para a Série C. O time terá apenas uma mudança na defesa, forçada pela contusão do zagueiro Rever. Em seu lugar deve entrar Dema ou Alex Alves. A diretoria voltou a confirmar que o volante Cristian e o meia Márcio Mossoró vão realizar os últimos dois jogos antes de se apresentarem aos seus novos clubes, respectivamente, Atlético-PR e Internacional de Porto Alegre. O Vila Nova aposta na força de sua torcida para manter-se entre os oito melhores, que vão à segunda fase. Em nove partidas no Serra Dourada, o time perdeu apenas um jogo, para o CRB na quarta rodada, e venceu oito. O técnico Roberto Fernandes fará duas mudanças em relação à equipe que empatou sem gols com o Grêmio. No lugar do zagueiro Marquinhos Paraná, expulso em Porto Alegre, as opções são André e Itaqui. Na lateral-esquerda, Anderson entrará em lugar de Marcos Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.