Paulista quer "aumentar" o Jaime Cintra

A diretoria do Paulista pretende dar uma "turbinada" no Estádio Jaime Cintra para receber a primeira partida da decisão da Copa do Brasil, no dia 15, contra o Fluminense. A intenção é montar uma arquibancada tubular (de estrutura metálica) ao lado do setor das cadeiras numeradas, numa área geralmente usada como estacionamento.Com isso, poderiam ser vendidos cerca de 3 mil ingressos a mais - atualmente, o clube tem permissão do Corpo de Bombeiros para vender pouco mais de 15 mil, quantidade mínima exigida pela CBF para abrigar a final da Copa do Brasil. A diretoria do Paulista espera encaminhar o projeto das arquibancadas tubulares aos órgãos competentes e ao Corpo de Bombeiros na próxima semana.O Fluminense queria que a final fosse disputada no Pacaembu. A idéia de transferir a decisão de Jundiaí para São Paulo chegou até a ser cogitada por pessoas próximas à diretoria do Paulista, mas a partida deverá mesmo ser no interior. A CBF já enviou, inclusive, um fax ao clube de Jundiaí, dando o aval para que o jogo seja disputado no Estádio Jaime Cintra.Não é hora - O volante Cristian e o meia Mossoró, destaques do Paulista na Copa do Brasil, estão na mira do Fluminense. Os dois se dizem "lisonjeados por interessarem a um grande clube brasileiro", mas evitam se alongar sobre o assunto já que o clube carioca é justamente o rival do Paulista na decisão.Vale lembrar que o Fluminense já havia assediado (e depois contratado) dois jogadores do Volta Redonda, adversário na decisão do Campeonato Carioca, dias antes da partida final daquele torneio."No momento, quero pensar apenas no Paulista", avisou Mossoró, que interessa também ao Palmeiras. "Quero muito ser campeão da Copa do Brasil e disputar a Libertadores do ano que vem pelo Paulista. Seria um sonho", garantiu Cristian.Apesar de se derreterem em elogios ao clube e à diretoria (tanto Cristian como Mossoró foram formados no Paulista), os dois jogadores, valorizados, sabem que podem ser negociados após a decisão da Copa do Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.