Paulista quer manter ritual de sucesso

Depois de eliminar seguidamente quatro integrantes da Série A do Campeonato Brasileiro entrando em campo como a surpresa, o Paulista inicia nesta quarta-feira, às 21h45, a disputa da semifinal da Copa do Brasil contra o Cruzeiro, no Estádio Jaime Cintra, tentando apenas repetir o ?ritual? de sucesso anteriormente. Apesar de ser a partida mais importante dos 96 anos de história do clube, o discurso de tranqüilidade é o mais ouvido na cidade. ?Temos que nos tranqüilizar, pois as chances vão aparecer, como tem acontecido em todos os jogos. Só precisamos de concentração para aproveitá-las?, profetizou o técnico Vágner Mancini, que completou no último dia 17 um ano à frente do clube. Nos dois primeiros feitos do único representante paulista na semifinal da Copa do Brasil, a decisão aconteceu fora de casa. Na primeira fase o adversário foi o Juventude e, com uma vitória por 1 a 0 em Jundiaí e um empate por 1 a 1 em Caxias do Sul, o time saiu com a vaga. Na rodada seguinte, o Botafogo foi eliminado com dois empates, 1 a 1 em Jundiaí e 2 a 2 no Rio de Janeiro. A surpresa se confirmou com duas decisões por pênaltis em casa - eliminou o Inter de Porto Alegre e o Figueirense. A campanha sem grandes resultados, porém eficiente fez do time do interior paulista uma pedra no sapato dos grandes e assim o técnico Vágner Mancini espera que continue. ?Para vencermos, temos que quebrar barreiras. Assim fez o Santo André até o fim no ano passado?. Apesar de ser conhecido como um time que gosta de jogar ofensivamente, Mancini ainda não revelou se entra com três volantes, forma como atuou nas outras etapas da competição, ou deixa como titular o meia Juliano, autor do gol decisivo contra o Internacional. Caso opte por entrar com apenas um meia de criação, que seria Márcio Mossoró, Juliano dá sua vaga à Julinho, que teve passagem pelo Corinthians como lateral-esquerdo. Cristian retorna após suspensão. Os desfalques são o volante Amaral e do zagueiro Anderson. Apesar da grande procura de ingressos por parte dos torcedores e da manutenção das promoções utilizadas nas rodadas anteriores, o público não deve ser o mesmo das decisões contra Inter e Figueirense, quando foi de 12.800 e 13.500, respectivamente. Por conta das chuvas, o público esperado para o Jaime Cintra é de oito a dez mil pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.