Paulista treinou com portões fechados

Conhecido como estrategista e misterioso, o técnico Levir Culpi, do Cuzeiro, encontrou um desafiante à altura em Vágner Mancini, jovem técnico do Paulista. Nesta segunda-feira o time de Jundiaí fez um treino no Estádio Jaime Cintra, que seria normal, não fosse realizado com portões fechados. Todo cuidado é visando o jogo de volta da semifinal da Copa do Brasil contra os mineiros, marcado para quarta-feira, no Mineirão, e deixou no ar o mistério em relação a escalação do time. Como venceu o primeiro jogo, por 3 a 1, o Paulista pode perder até por um gol de diferença para chegar à inédita final da competição. Por isso, Mancini justificou toda sua cautela: "Numa decisão como essa, nós temos que utilizar tudo que possa ser favorável. Nesta hora vale tudo". Segundo Mancini, Culpi é muito bom para montar seu time em função da escalação adversária. Por isso optou por não divulgar seu último treinamento em Jundiaí. Foi a primeira vez que o técnico se utilizou deste recurso nos 12 meses e meio à frente do time. Mancini não escondeu, no entanto, que o time que vai a campo no Mineirão não deve ser o mesmo que venceu o confronto inicial. Para segurar a vantagem e assegurar uma vaga na final, ele até que admitiu esperar um time bastante ofensivo do adversário e que deve escalar um Paulista mais atento à defesa. A mudança deve ocorrer no meio de campo, onde o meia Juliano deve ceder sua vaga para o volante Amaral, deixando o time novamente com três volantes, maneira usada em outras partidas da competição. Outra mudança deve ser o retorno do zagueiro Anderson, que cumpriu suspensão, na vaga do jovem Réver. Por outro lado, Julinho, que roubou a posição de Fábio Vidal para a partida contra os mineiros, deve continuar como titular na lateral-esquerda. Mancini ainda comentou a ausência do lateral-direito Maurinho no time mineiro. Revelado pelo Paulista e um dos destaques da Raposa na temporada, ele foi vetado após sentir uma fisgada na coxa esquerda na partida contra o São Paulo, sábado, válida pelo Campeonato Brasileiro. Para o treinador do Paulista, sua ausência não será motivo de comemoração. "Eles têm um elenco poderoso e o Ruy, que deve entrar, também é muito perigoso", comentou. Ao contrário das vésperas das outras decisões nesta Copa do Brasil, o time preferiu continuar concentrado na cidade de Jundiaí, no Estádio Jaime Cintra. A delegação embarca para Belo Horizonte às 10 horas desta terça-feira. A situação de semifinalista contrasta com o Brasileiro da Série B, onde ocupa a zona do rebaixamento, sendo o 19º colocado, com sete pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.