Paulista vai concentrar até a final

A partir desta terça-feira o Paulista irá "se mudar" de Jundiaí e sua nova casa será a cidade de Jarinu, mais precisamente a Estância Santa Folimena, destino de muitos clubes que buscam interação máxima. Este, inclusive, é o principal objetivo do técnico Vágner Mancini, que pediu à diretoria para que a concentração para as finais da Copa do Brasil, contra o Fluminense, a serem disputadas nos dias 15 e 21, durem quase as duas próximas semanas inteiras. "Estamos em um momento mais do que especial e não podemos pecar pela omissão. Lá vamos nos abstrair de todos os assuntos que cercam a final e nos focar apenas nos jogos", ressaltou Vágner Mancini. O time deixará a concentração apenas para os jogos, retornando depois deles. Apesar de ainda não ter confirmado se vai utilizar o time completo ou misto nas partidas da Série B que se intercalarão com as finais, Mancini acredita que a concentração em Jarinu poderá também ajudar o time a melhorar no Brasileiro, em que ocupa apenas a 18.ª colocação, com oito pontos, e está na zona do rebaixamento. No último sábado, o Paulista, mesmo com nove de seus titulares, empatou em casa com o União Barbarense, por 2 a 2. Durante esta semana Mancini deve estudar as melhores opções para o primeiro jogo da final, em Jundiaí, mesmo tendo no sábado o confronto contra o Grêmio, em Porto Alegre. O único desfalque para a final é o zagueiro Anderson, que foi expulso na derrota por 3 a 2 para o Cruzeiro, que deu a vaga ao time paulista. Réver deve substituí-lo. O volante Cristian, autor dos dois gols que deram a vaga ao time, concordou com a decisão de concentração total. "Quanto mais focados tivermos, melhor. É o momento de nossas vidas", disse o camisa sete, que ainda dedicou a atuação contra os mineiros à sogra, mulher do ex-jogador Baroninho, ex-ponta esquerda do Noroeste e Palmeiras na década de 70.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.