Ernesto Rodrigues/Estadão
Ernesto Rodrigues/Estadão

PAULISTÃO 2014: Com Mano, campeão Corinthians entra sob pressão

Clube troca de treinador e aposta na recuperação do elenco para conquistar o bicampeonato

Daniel Batista e Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2014 | 05h01

SÃO PAULO - O campeão entra sob pressão para buscar o bicampeonato. Após um 2012 mágico e um bom início no ano passado – conquistou o Estadual ao derrotar o Santos, de Neymar, na decisão –, o Corinthians fez um segundo semestre para ser esquecido e colocou em xeque à credibilidade do elenco.

A diretoria fez poucas contratações e aposta fundamentalmente na troca de comando para retomar o caminho das vitórias em 2014. Mano Menezes volta ao clube após quase quatro anos para ocupar o lugar de Tite e dar continuidade ao trabalho interrompido para atender ao chamado da seleção brasileira.

A missão será tão árdua quando a de 2008. À época, o treinador deixou o Grêmio para reconduzir o Corinthians, rebaixado em 2007, à elite do futebol brasileiro. A diferença é que, naquela oportunidade, Mano pôde realizar uma profunda reformulação, contratando diversos jogadores e formando o time à sua feição.

Agora, o técnico terá de trabalhar para recuperar o moral de um grupo vencedor, mas que não estava mais dando resultado em campo. O presidente Mário Gobbi avisou que reforços de peso, aqueles que chegam para resolver, apenas depois da Copa do Mundo.

Mano adotou um discurso forte. O treinador demonstrou logo de cara que não vai permitir acomodação. Ele quer tirar os jogadores na zona de conforto, situação natural para uma equipe que conquistou tudo que disputou.

A maior esperança está na recuperação de Alexandre Pato. Contratação mais cara da história do Corinthians, o atacante, que custou R$ 40 milhões no começo de 2013, não correspondeu, foi responsável direto pela eliminação da Copa do Brasil para o Grêmio ao errar pênalti de maneira displicente e ficou próximo até de deixar o clube.

Agora, o treinador quer fazer o jogador, que até chegou a ser convocado para a seleção por Luiz Felipe Scolari, readquirir confiança e, claro, marcar muitos gols. O mesmo vale para os outros atacantes do elenco, que decepcionaram no Brasileirão. Guerrero, Emerson e Romarinho estão sob a mira de Mano.

“Espero gerar uma disputa interna sadia, que tire a acomodação natural do ser humano. Você fica assim em determinados momentos, após vitórias. É preciso ser leal e transparente para que todos os jogadores entendam”, avisou o técnico.

Mano tem também no elenco outro jogador que, após um ano com problemas de contusão, é encarado como fundamental para o sucesso da equipe. Renato Augusto fez uma preparação diferente dos companheiros para ser o camisa 10 dos sonhos do torcedor.

O treinador confia na resposta do jogador de 25 anos. Foi com Mano que Renato Augusto, então no Bayer Leverkusen, da Alemanha, foi convocado para a seleção brasileira em 2011.

O Corinthians começa o ano sob pressão e o título do Paulista é uma boa maneira de acalmar o torcedor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.