Divulgação
Divulgação

PAULISTÃO 2014: Maior desafio da Lusa será esquecer as polêmicas

Guto Ferreira quer ver o time focado no Estadual e sem se preocupar com o Brasileiro de 2013

Daniel Batista e Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2014 | 05h05

SÃO PAULO - Mais do que brigar pela classificação para as quartas de final do Campeonato Paulista, a Portuguesa tem como grande desafio conseguir focar apenas o que acontece dentro de campo e tentar esquecer o polêmico fim de 2013. Enquanto advogados e dirigentes se esforçam para manter o clube na elite nacional, o técnico Guto Ferreira trabalha para tentar reconstruir o time.

“O foco de quem está dentro de campo tem de ser o Campeonato Paulista. Toda essa polêmica precisa ser resolvida pela diretoria. Não tem essa de se preocupar com o Brasileiro”, avisou o treinador.

No total, 17 jogadores deixaram o clube e, por enquanto, apenas sete reforços foram contratados. Além da grave situação financeira, a diretoria também espera saber em qual divisão do Brasileirão vai atuar em 2014 para ir atrás de jogadores mais renomados ou continuar apostando em atletas pouco conhecidos.

Dos que chegaram, os dois mais conhecidos são o atacante Caio, ex-Palmeiras, e o volante Diego Silva, que passou pelo Flamengo no ano passado. O elenco ainda foi reforçado com algumas promessas do Corinthians, como o zagueiro André Vinícius, o volante Gomes e o meia Giovanni, além do lateral-direito Régis, que estava na Ponte Preta, e do atacante Leandro Banana, que veio do Icasa.

Deixaram o clube: Lauro (G); Luis Ricardo, Rogério, Ivan e Magal (L); Lima e Lucas Silva (Z); Correa, Bruno Henrique, Willian Arão e Muralha (V); Cañete (M); Gilberto, Neilson, Michel e Diogo (A). E o atacante Héverton, pivô da polêmica no fim do ano e que acertou com o Paysandu.

“A gente tem de esquecer tudo o que aconteceu. De antemão, vemos que o time titular mudou, mas estamos trabalhando e buscando o melhor”, disse Gledson, que herdou a vaga de titular do gol luso.

Apesar do discurso, é consenso, que a formação da equipe, pelo menos por enquanto, não é para brigar por títulos. Conseguir a classificação e tentar brigar sem fazer feio com os grandes já está de bom tamanho pelos lados do Canindé.

A permanência de Guto Ferreira e do zagueiro Valdomiro, líder do elenco, minimiza a situação, mas o pensamento para o estadual ainda é evitar vexame. No ano passado, o time foi campeão da Série A-2, na qual esteve duas vezes nos últimos sete anos. A meta é lutar para não cair pela terceira vez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.